Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

voltoja

7 Razões para amar Viena

Belvedere, Viena

 

19242998_QBLBB.jpeg

"As ruas de Viena são pavimentadas com a cultura, as de outras cidades com asfalto". Foi Karl Krauss quem o disse. Este dramaturgo e poeta austríaco era um apaixanado pela cidade, tal como eu.

 

Viena não consegue competir com as rivais Paris, Londres ou Madrid na capitalização com o turismo, mas a capital austríaca é um tesouro na Europa.

 

1. A Ópera
A Ópera serve aqui para dois momentos, a belíssima Ópera Estatal e o estilo musical. Ir a Viena e não assistir a uma ópera é um crime, sendo que a sala de espetáculos é a mais bonita da Europa e todo o ambiente envolvente remete-nos para um classicismo que se perdeu na velocidade da modernidade. Faz-nos sentir bem e muda-nos. A mim mudou. Não era um grande apreciador de Ópera, mas assistir a Tosca de Puccini mudou o meu gosto pela música e pela teatralidade.


2. A arquitetura
Quantos vezes já ouviram a expressão "esta cidade é um museu ao ar livre". Eu próprio já a utilizei muitas vezes nos meus artigos, mas desde que cheguei de Viena comecei a olhar para essa expressão de forma diferente. Viena conta com o 'Museumsquartier', a oitava maior área cultural existente no mundo, com os seus edifícios de arquiterura barroca. Eu prefiro ver uma cidade com luz artificial, mas em Viena fiquei dividido, porque tanto de dia como de noite a cidade é linda.


3. Segurança e limpeza
À medida que vou envelhecendo vou dando mais valor à segurança e à limpeza de uma cidade e aqui Viena ganha, com enorme distinção, às outras grandes cidades europeias. A capital austríaca é uma cidade muito branca, contrastada com o cobre gasto das estátuas e, se não estivesse tudo impecavelmente limpo, a cidade perderia parte do seu brilho. É fascinante ver que todos os edifícios do centro da cidade estão preservados, assim como o asfalto.

 

4. Os cafés
Os vienenses têm uma grande tradição de cafés, gostam de passar o tempo a beber um café enquanto lêem o jornal. Por esse motivo, a maior parte destes estabelecimentos estão preparados para um pequeno-almoço ou lanche com salas acolhedoras onde apetece sentar e desfrutar de um reconfortante café vienense. Se querem sentir a verdadeira classe imperial da cidade, visitem o Café Central e provem o doce de rum e violeta, o preferido da Princesa Sissi.


5. A pastelaria
A pâtisserie mais famosa do mundo é a francesa, mas sabiam que a corte gaulesa aprendeu com os melhores pasteleiros de Viena nas suas visitas ao Império Austríaco? Daí a expressão viennoiserie, que já devem ter visto ou ouvido algures. Para o bem (sou guloso) dos meus pecados (há que manter a linha) esta cidade austríaca não perdeu o jeito e continua a fazer uma pastelaria deliciosa, muito requintada e orgulhosamente exposta nas vitrinas. Que se acuse aquele que não gosta de experimentar o doce típico da cidade nas suas viagens... Aqui irão perder-se, e muito.


6. Os museus
Não sou um grande apreciador de museus e prefiro gastar o meu tempo numa cidade que desconheço a passear e a procurar coisas novas. Vou aos grandes museus porque não quero morrer ignorante e porque quero encontrar a razão de eles serem tão famosos. Entre um e outro consigo divertir-me. Em Viena, gostei de todos. Podem não gostar de reis e princesas, mas o Palácio de Schönbrunn e o Palácio Imperial de Hofburg são muito mais do que isso. Aqui não há espaço para desilusões, uma vez que conseguimos ter uma clara noção de como era a vida monárquica da altura e tudo muito bem explicado. Tenho de falar ainda no Palácio Belvedere, onde as obras expostas são interessantes, mas todos querem ficar à frente de “O Beijo” de Gustav Klimt. Ao vivo é ainda mais espetacular.


7. A música clássica
Se algo mudou na minha vida foi a forma como agora oiço a música clássica. Podemos não ouvir os sons de violinos e pianos pelas ruas, mas as paredes de Viena transpiram música clássica, sendo possível perceber a razão de muitos artistas se terem mudado para esta cidade. Sabe mesmo bem perceber que a cidade não perdeu a identidade e é isso que faz de Viena uma das cidades mas espetaculares do mundo - o tempo passa mas a essência fica.

As melhores francesinhas do norte e não só

Discutir qual é a melhor francesinha é como colocar um benfiquista, portista e sportinguista a discutirem qual o melhor clube em Portugal.

 

Sabemos que esta é uma discussão que gera muitas opiniões e cada um apresenta as suas razões para levar a melhor. Por falar em melhores, mesmo sabendo que gostos não se discutem, elegemos aquelas que, para nós, são as oito francesinhas campeãs da região norte e não só.

 

Cada um terá a sua opinião, daí pedirmos para usarem a caixa de comentários da melhor forma com sugestões, para nós e para os que estão a ler.

 

A cidade do Porto domina, obviamente, a lista, com quatro restaurantes representados, seguindo-se um de Braga, Vila Nova de Famalicão, Guimarães e um de Coimbra.

 

Praxis (Coimbra)

Praxis (Coimbra)

 

Yuko Tavern (Porto)

Yuko (Porto)

 

Taberna Belga (Braga)

Taberna Belga (Braga)

 

Taberna Londrina (Guimarães) 

Taberna Londrina (Guimarães)

 

Café Santiago (Porto)

Café Santiago (Porto)

 

Forever (Famalicão) 

Forever (Famalicão)

 

Lado B (Porto)

Lado B (Porto)

 

Bufete Fase (Porto)

Bufete Fase (Porto)

 

Diz-me que série vês e dir-te-ei a tua cidade

Fartos de viajar sem saírem do sofá? Desliguem a televisão, façam as malas e preparem-se para recriar os passos das vossas personagens favoritas. Seja a beber um "Cosmo" num dos bares sofisticados de Nova Iorque ou a explorar as paisagens selvagens de Honolulu como se a vossa vida dependesse disso, temos apenas uma questão para vos ajudar a escolher o próximo destino: que série vês?

 

House of Cards/Washington DC

House of Cards

 A capital dos Estados Unidos da América é ideal para os amantes de história, política e do casal mais ambicioso da televisão.


O Sexo e a cidade/Nova Iorque
Serviria para dezenas de séries de televisão, mas escolhemos aquela que melhor se encaixa no espírito da cidade.


Perdidos/Honolulu

Lost

O famoso avião que viajava de Sydney para Los Angeles caiu em algum lugar do Oceano Pacífico. A equipa de produção desta série de culto escolheu os lugares verdejantes de Honolulu para recriar o ambiente de mistério em torno das personagens.


Vikings/Geiranger
Este nome pode não dizer muita coisa, mas se dissermos que fica nos Fiordes da Noruega fica mais claro. É o local ideal para se sentir um viking e partir para a aventura.


Guerra dos Tronos/Dubrovnik
É aqui que fica King's Landing. Os produtores da série utilizam imagens desta cidade croata para retirar o cenário do local onde fica o ‘Iron Throne’. Atualmente existem excursões para os fãs da série de grande sucesso da HBO.


Breaking Bad/Albuquerque
É nesta cidade que foram filmadas grande parte das cenas da premiada série da AMC. Para os verdadeiros fãs, podem encontrar aqui a casa de Walter White. Verifiquem se ainda existe uma caixa de pizza no telhado…


The Walking Dead/Atlanta

The Walking Dead

Os ambientes de bosques e florestas fazem parte do mundo apocalíptico dos zombies mais famosos da televisão. Os fãs podem viajar até Georgia, permanecer na capital Atlanta e vasculhar os trilhos mais misteriosos do estado.


Downton Abbey/Londres
Escolhemos a capital inglesa porque aqui podem estabelecer a vossa base e admirar a monarquia mais conceituada do mundo. Depois, façam uma viagem curta até Buckinghamshire para conhecer o castelo onde acontece a ação de Downton Abbey.


Irmãos de Armas/Caen
Na costa da Normandia, em França, podem visitar as praias onde as forças norte-americanas aterraram no dia 6 de junho de 1944 para atacar os nazis. Escolhemos Caen porque, além de ser bonita, conta ainda com um memorial alusivo a esses acontecimentos da II Guerra Mundial e organizam circuitos sobre o Dia D.


Narcos/Medellín

Narcos

Muito mudou desde os anos 80 e, felizmente, para melhor nesta cidade colombiana. Medellín é hoje mais amiga dos turistas, com reforço na segurança, mas mantendo o velho espírito sul-americano.


Peaky Blinders/Birmingham
No início do século XX esta cidade inglesa foi assombrada pelos gangues criminosos, algo muito diferente do que acontece na cidade hoje em dia. Birmingham evoluiu e está mais moderna, mas ainda esconde os muros de outrora.


Spartacus/Roma
Spartacus ficou famoso pelas suas batalhas em Cápua (perto de Nápoles), mas o rebelde mais famoso da história queria destruir o poder de Roma e é por isso que os amantes da série devem visitar esta cidade. É um verdadeiro museu a céu aberto para os amantes do Império Romano.


Entourage/Los Angeles
Tal como Nova Iorque, poderíamos nomear muitas séries para ilustrar esta cidade, mas escolhemos ‘Entourage’ porque retrata bem o espirito citadino e ‘hollywoodiano’ de Los Angeles, sem esquecer as intrigas das vidas comuns e das estrelas.


Homeland/Teerão

Homeland Excluindo a quinta temporada, passada em Berlim, as primeiras quatro temporadas têm o médio oriente como cenário. Como previliegiamos a segurança de quem nos lê, escolhemos a capital do Irão, a mais segura mas ao mesmo tempo tradicional. Além disso, parte da terceira temporada é passada em Teerão.

 

The OC/Rancho Palos Verdes
Esta cidade é localizada no condado de Los Angeles e ficou extraordinariamente famosa depois de Ryan, Seth, Summer e Marissa terem entrado nas nossas casas. O pacote completo da vida californiana, com calor, praia e glamour, está nesta série.

Dicas de destinos para quem está a organizar uma despedida de solteiro

Está sem ideias para organizar a despedida de solteiro do ano? Relaxe, temos excelentes dicas de destinos que deixarão os noivos com a fasquia elevada para o próprio casamento. Não queremos que falte nada aos que vão deixar de ser solteiros, afinal só se casa uma vez, certo?

 

Sabemos que organizar uma despedida de solteiro/a pode ser tão (ou mais) complicado do que preparar o próprio casamento e a decisão do local é de extrema importância, por vários fatores. O destino escolhido terá de ser do agrado e ir ao encontro da personalidade do noivo ou noiva, tendo ainda a preocupação de facilitar a viagem para os que querem desfrutar de uma escapadinha com os/as amigos/as.

 

Desta forma, e para quem está a organizar uma despedida de solteiro/a, temos dicas de destinos para se divertirem ao máximo e ser memorável. Tivemos em conta o fator proximidade e por isso escolhemos algumas cidades do país vizinho, numa lista em que consta um destino português.

 

Tenha em atenção que alguns dos destinos implicam uma viagem de avião, o que exigirá uma maior organização (e paciência) por parte dos padrinhos ou madrinhas, mas só se casa uma vez, certo?

 

Veja a nossa lista e comece a partilhar com os restantes amigos/as da organização de despedida de solteiro/a. Todos os destinos escolhidos servem igual para noivo ou noiva.

 


Amesterdão (Holanda)

Amesterdão (Holanda)

É a cidade dos pecados, da descompressão e da descontração. Durante o dia passeiem de bicicleta pela cidade e à noite percam-se (em segurança) pelas ruas animadas.


Valência (Espanha)
Além de estar a uma curta distância de Portugal, esta cidade oferece-nos o moderno (para o dia) e o histórico (para a noite). Como extra: ainda temos uma praia ao nosso dispor.


Liubliana (Eslovénia)
Não se deixem enganar pelos encantos de Liubliana, que mais parece um conto de fadas. É uma cidade com uma noite sofisticada e com muita opção de bares e discotecas de qualidade. Por estar tudo concentrado, as deslocações tornam-se fáceis. Contem ainda com preços razoáveis nas refeições e alojamento.


Porto (Portugal)

Porto (Portugal)

Tinha de existir uma cidade portuguesa nesta lista e escolhemos a Invicta. A baixa da cidade está cheia de excelentes opções. Além disso, é aqui tão perto.


Vigo (Espanha)
A cidade galega é já uma tradição nisto de despedidas de solteiro. Aliás, está mais do que preparada para receber os grupos que anseiam por diversão durante uma noite. Mais, não precisam de viajar de avião para lá chegar.


Madrid (Espanha)
Tem vindo a crescer de popularidade, nos últimos anos, nos destinos de despedidas de solteiros fora de Portugal e toda a gente sabe a razão. É perto, animada e dá para circular de bar em bar descontraidamente.


Barcelona (Espanha)
É uma opção mais requintada em Espanha. Além de praia, tem também excelentes 'rooftops' e bares muito sofisticados. Não se deixem ficar apenas pelas 'Las Ramblas' e percam-se, com estilo, na noite catalã.


Salamanca (Espanha)

Salamanca, Espanha

Salamanca é a cidade universitária espanhola por excelência, por isso, vai ser fácil encontrar muita animação no centro, com bares recheados de gente jovem e preparada para a diversão.


Budapeste (Hungria)

Budapeste (Hungria)

Sabemos que é a cidade mais afastada desta lista, mas vale mesmo a pena. A sua deslocação engloba uma maior organização e paciência. Mas quando lá chegarem, e se depararem com a noite de Budapeste, irão agradecer-nos. Além disso, conta com preços em conta nas refeições e alojamento.


Roma (Itália)
É a cidade ideal para aqueles que preferem desfrutar mais do dia do que da noite. Podem aproveitar os 'aperitivos' em Trastevere e depois ir para os bares perto do Panteão.


Dublin (República da Irlanda)
Cidade animada por excelência, gerada pela boa disposição dos irlandeses e perfeita para os amantes de 'pub's'. Uma escolha acertada para os que gostam de ficar em bares rodeados de cerveja. Acreditem, toda a gente deveria experimentar.


San Sebastian (Espanha)

San Sebastian (Espanha)

Pode passar despercebida, mas San Sebastian é perfeita para despedidas de solteiro. Na cidade velha encontrarão boas pastelarias, bons restaurantes de 'pintxos' e muita animação durante o dia e noite. Se tiverem sorte ainda conseguem ir à praia. Fica um pouco longe, mas também dá para lá chegar de automóvel.

Só Woody Allen para nos fazer viajar numa sala de cinema

Este mês chega às salas de cinema mais um filme de Woody Allen, o Café Society, e aproveitamos o momento para recordar as cidades que o realizador norte-americano imortalizou no cinema através da lente da sua câmara.

 

Cada filme lançado por Woody Allen é uma viagem pelo mundo, mas sem ter de sair do lugar. O realizador norte-americano já nos habituou aos melhores tramas pessoais (Match Point e Meia Noite em Paris) e a excelentes interpretações (Cate Blanchett em Blue Jasmine, que lhe valeu um Óscar). Além disso, Allen escolhe, a cada filme, uma cidade para ser parte integrante do argumento, chegando mesmo a parecer que é mais uma personagem do filme.

 

O diretor de quase 81 anos (completa a 1 de dezembro) consegue ilustrar na perfeição o estado de espírito das personagens consoante a vibração e energia das cidades escolhidas para gravação.

 

Manhattan/Nova Iorque

Após descobrir que a sua esposa o trocou por uma mulher, Isaac decide refazer a sua vida e vê-se envolvido com uma jovem, mas na verdade sente-se atraído pela amante do seu melhor amigo, que é casado.

É uma das cidades favoritas do realizador. Woody Allen sabe captar, como ninguém, a essência da cidade, realçando as pontes e as estações de metro da 'Grande Maçã'. Allen regressou depois a NY para filmar Tudo Pode Dar Certo (2009) e Melinda e Melinda (2004).


Toda a Gente Diz Que Te Amo/Veneza
Um filme que apresenta as intrigas amorosas de um escritor americano, da sua ex-mulher, a filha e uma historiadora por quem se apaixona.

A comédia romântica foi suportada pelos belos canais e pelas gôndolas, os símbolos da cidade, dando o toque perfeito de romantismo à história. O lugar ideal para um musical.

 

Match Point/Londres, Inglaterra
Um galã incurável apaixona-se por uma mulher de família rica e, ao mesmo tempo, pela namorada do cunhado. Interessado na fortuna da família de Chloe, Jonathan precisa livrar-se de Nola, que fica grávida.

Um dos grandes filmes de Allen, que tem como pano de fundo a sombria Londres, conferindo um tom mais escuro à película. No ano seguinte, voltou à cidade de Sua Majestade para realizar Scoop.

 

Vicky Cristina Barcelona/Barcelona

Duas americanas viajam para Barcelona de férias por três meses, onde conhecem o ex-marido de uma temperamental pintora, que as convida para um fim-de-semana em Oviedo, algo que mudará o rumo das suas vidas.

O realizador precisava de uma cidade quente e única para dar vida ao trio mais intenso da sua filmografia. A arquitetura da capital da Catalunha é perfeita para ilustrar a montanha-russa de emoções dos protagonistas.


Meia noite em Paris/Paris

Meia noite em Paris

Um escritor americano vai com a noiva e a família dela para a capital francesa. Ao vaguear pela cidade, descobre que ao badalar da meia-noite é transportado para a Paris de 1920, época e lugar que considera os melhores de todos.

Paris não precisa de grandes truques para ficar deslumbrante, mas Woody Allen fê-lo com mestria ao captar bonitas imagens noturnas da cidade. E aquele toque da Belle Epoque fica-lhe sensacional.


Para Roma com Amor/Roma

Para Roma com Amor

Este filme apresenta quatro histórias distintas, com pessoas de diferentes gerações e nacionalidades, que passam por aventuras amorosas na capital italiana.

A cidade eterna remete-nos para as conquistas do Império romano, mas o realizador norte-americano deu-lhe uma nova cor, sem esquecer as belas e estreitas ruas da capital italiana.

 

Blue Jasmine/São Francisco

Um filme que acompanha uma dona de casa rica, que entra na crise da meia idade e começa a repensar a sua vida.

A cidade de São Francisco também contribuiu para o sucesso deste filme. Desta vez, o realizador afastou-se do lado mais cosmopolita de Nova Iorque e partiu para uma atmosfera mais intimista e melancólica, que só esta cidade consegue oferecer.


Magia ao Luar/Costa Azul, sul de França
Um mágico de teatro é contratado para desmascarar charlatões e para acabar com a suposta farsa de uma simpática jovem, que afirma ser médium.

Woody Allen leva-nos a passear pelo charme e calor da Costa Azul francesa. Os lugares de Antibes, Juan-les-Pins e Nice fazem companhia às personagens do filme e dão-nos vontade de passar um final de tarde nesta região.


Café Society/Los Angeles (2016)
Na década 30, um jovem natural de Bronx muda-se para Hollywood, onde se apaixona pela secretária do seu tio, um agente de estrelas de cinema bastante influente. Depois de regressar a Nova Iorque, ele é arrastado para a vibrante noite da alta sociedade.

O mais recente filme de Woody Allen convida-nos a visitar a Era de Ouro de Hollywood, retratando na perfeição o ambiente vintage e glamoroso da cidade californiana da época.

 

Ter acesso ao visto de turismo para a Rússia não é fácil, saiba porquê!

Guardas de Honra na Rússia

 

Apesar de jogarmos à bola uns contra os outros em campeonatos da Europa de futebol, para entrar na Rússia vão ter de teclar muito e dispensar alguns euros antes de ter acesso ao visto de entrada no país. Existem duas formas de o fazer: ou contratam uma agência que faz todo o serviço, mediante o pagamento, ou arregaçam as mangas e partem, vocês próprios, para esta aventura para poupar dinheiro e demonstrar que são capazes de o fazer.

 

1. Comprar a viagem

Primeiro, o mais simples de tudo, comprar os bilhetes de avião, que tanto podem ser adquiridos através dos vossos computadores ou de uma agência de viagens. Se optarem pela segunda via, é certo que serão terceiros a tratarem do vosso visto, por isso não precisam de continuar a ler este artigo, a não ser que queiram estar mais informados do processo. Caso queiram ser vocês a comprar, aconselhamos reservar a viagem de avião através das companhias Lufthansa ou KLM, ambas têm boas promoções para São Petersburgo.

 

2. O convite

Para entrar na antiga União Soviética é necessário que alguém vos convide para lá ir. Pode parecer estranho, mas é mesmo assim, isto partindo do princípio que são portugueses e não brasileiros, que não necessitam de visto. Podem obter o convite de duas formas: através de agências especializadas ou dos hotéis onde irão ficar hospedados. Na maior parte das unidades hoteleiras, existe um custo associado (entre 10 a 25 euros por pessoas) ao convite, mas há outras que oferecem. Contudo, caso cancelem terão de pagar uma multa, que pode rondar os 50 euros. Tenham em atenção que este convite terá de ser pedido ao primeiro hotel onde irão ficar hospedados. Caso estejam a pensar ficar, por esta ordem, em São Petersburgo e Moscovo, terão de entrar em contato com a receção do hotel em São Petersburgo.

No nosso caso, como a nossa primeira paragem é São Petersburgo, tratamos de todo este processo do convite através da agência oficial de turismo da cidade. Tomem nota que eles 'obrigam' a que todas as reservas de hotel sejam feitas através do booking.com, para que desta forma usufruam do convite grátis. Podem confiar 100%, é seguro, rápido e a comunicação por email é excelente. Este é o link.

 

3. Seguro de viagem

Existem apenas dois países que nos obrigam a fazer um seguro de viagem para ter acesso ao visto e a Rússia é um deles [África do Sul é o outro]. É um seguro de viagem, mas acaba por ser um seguro de saúde, uma vez que o importante é as despesas médicas cobrirem um montante até 30 mil euros. E para que serve isto? Caso tenham algum acidente ou fiquem doentes e tenham de ir para um hospital, por exemplo, não será o governo russo a cobrir as vossas despesas médicas. Existem vários seguros de viagem, mas podemos aconselhar o da Liberty e o da Fidelidade, ambos a rondarem os 36 euros para duas pessoas, com uma estadia de oito dias em território russo. Certifiquem-se que o vosso seguro de viagem tem protocolo com a embaixada russa em Portugal, de forma a que cumpra todos os requisitos pedidos.

 

4. Fotografias

Sim, tenham à mão aquelas típicas fotografias de documento para colar nos impressos do passo seguinte. Podem fazê-lo através dos photobooths que estão nas superfícies comercias. Recordem-se que precisam de fotografias tipo documento (cerca de 5€) e não retrato.

 

5. Preenchimento de Questionário electrónico de visto

Através deste site terão de preencher um extenso questionário, que dará entrada no Departamento Consular do Ministério dos Negócios Estrangeiros da Federação da Rússia. É um formulário minucioso, em que vos pedirão dados como: morada, número de telefone, email do vosso local de trabalho, ou se já foram conhecidos por outro nome, ou se já estiveram ou conhecem alguém na Rússia... Como podem ver, os russos levam muito a sério isto da segurança no país no que toca a entrada de estrangeiros. Só podem completar o preenchimento deste formulário depois de terem feito tudo nos pontos 2, 3 e 4. Depois, imprimam os documentos, colem as fotografias e assinem.

 

6. Entrada dos documentos no Centro de Vistos

Com a documentação pronta, toda esta informação tem de ser entregue no Centro de Vistos da Rússia em Portugal e aqui têm duas opções: ou enviam por email ou entregam pessoalmente em Lisboa. Caso sejam do norte, não vale a pena ir ao consulado do Porto, porque não tratam dos vistos. A opção por email é a mais confortável, mas também mais dispendiosa. Além dos custos associados à obtenção dos vistos (já lá vamos quanto a preços), terão de pagar mais 10€ por pessoa pelo tratamento de dados, mais 10 pelo envio (até um grupo de cinco pessoas), isto excluindo os emolumentos do visto.

Caso estejam a pensar entregar pessoalmente no Centro de Vistos, têm previamente de fazer a marcação através do site e escolher o dia e hora pretendida para a entrega da documentação. A marcação é pessoal, ou seja, cada passaporte corresponde a um agendamento.

A entrega da documentação por ser feita por terceiros, para isso basta escrever uma autorização simples (exemplo) e a pessoa em questão terá de entregar a documentação munido do cartão de cidadão/bilhete de identidade, como referido na autorização.

Quanto ao precário, e tratando-se de um visto de Turismo de uma ou duas entradas (o mais usual para turistas) o preço é de 35 euros, com um prazo de consideração entre quatro a 10 dias úteis, mais 30€ pela taxa de serviço. Ou seja, no mínimo, no Centro de Vistos irão deixar 65€ por passaporte, podendo pagar por multibanco ou numerário. Se estiverem com urgência, podem pedir maior celeridade no processo, com custos associados, que podem consultar AQUI.

Para a recolha dos documentos não necessitam de fazer marcação, podendo levantar os passaportes diariamente das 09:00 até às 17:00, por ordem de chegada no Centro de Vistos. Caso tenham optado por levamento por terceiros, a mesma pessoa terá de levar a autorização e o CC/BI.

 

Depois, já com os passaportes devidamente carimbados podem levantar voo em direção à Rússia. Recordem-se, tratem de toda a documentação com, pelo menos, um mês de antecedência, para o caso de surgirem imprevistos. Façam fotocópia de todos os papéis que foram entregues no Centro de Vistos e levem convosco na viagem para se sentirem mais seguros.

Estes lugares vão mudar a forma como olha o mundo

Viajar transforma. Muda a forma como olhamos para o mundo e a nossa maneira de estar na vida. Há lugares que têm esta capacidade transformadora, que conseguem deixar marcas permanentes - são estes lugares que apresentamos a seguir.

 

Tal como existem pessoas que conseguem mudar a nossa vida, há lugares que têm a capacidade de alterar a nossa maneira de estar no mundo. Viajar é a melhor forma de nos conhecermos, seja sozinho ou acompanhado. Coloca-nos à prova diante da experiência e determina a nossa capacidade de desenrasque, risco ou de testar a nossa zona de conforto. Viajar é um termómetro para a nossa paciência e determinação. E isto serve para qualquer e simples viagem.

 

Agora, há lugares que mudam completamente a nossa perceção de olhar o mundo, seja para o passado ou futuro. Por isso apresentamos 13 locais que todas as pessoas deveriam conhecer, pelo menos uma vez na vida, para se sentirem diferentes. Com isto não queremos dizer que estas viagens servirão para mudar a nossa vida, mas ajudarão a olhar para ela de outra forma. Porque viajar é, também, somar conhecimento.

 

1. Auschwitz

Auschwitz@pixabay

Se há lugar no mundo que tem a capacidade de nos embrulhar e reduzir-nos a nada é esta rede de campos de concentração Nazi durante a II Guerra Mundial na Polónia. Mais, é difícil descrever o que se sente quando lá se entra. Façam um favor a vós próprios, visitem e sintam.

 

2. Japão

É a casa dos bons costumes, tradições, civismo, modernidade e hospitalidade. Mexam tudo isto num 'shaker' e sai de lá o Japão. Quem visita este país muda e começa a olhar diferente para a forma como nos comportamos dentro de uma carruagem de metro, restaurante ou bar. Além disso, no Japão podem encontrar o Memorial da Paz de Hiroshima, um lugar que não deixa ninguém indiferente.
 

3. Islândia

É mais perto do que podemos imaginar e tão diferente do que conhecemos. Tem paisagens únicas e sentimos um vazio imenso quando percorremos as estradas islandesas, um vazio que nos faz bem. Além disso, mergulhar nos banhos termais ao ar livre e assistir à aurora boreal não tem preço.
 

4. Índia

India@pixabay

É daqueles clichés inevitáveis. Viajar até à Índia é como fazer uma caminhada espiritual com os seus templos e palácios imponentes e ao, mesmo tempo, um murro no estômago, seja pela pobreza ou desigualdade de géneros.
 

5. Açores

Este conjunto de ilhas consegue mudar-nos por estar aqui tão perto e ser tão fascinante. As suas paisagens verdejantes e os seus vulcões inativos, ornamentados com vegetação são espetaculares. Fazer uma caminhada nos trilhos da ilha de São Miguel é como um fim de semana num SPA.
 

6. Memorial & Museu Nacional do 11 de setembro

Memorial 11 setembro@pixabay

A proximidade deste acontecimento não deixa de surpreender quem passa por Nova Iorque. O local poderia ser mais respeitado, é verdade, e mais solene, mas quando olhamos para a árvore que ainda permanece no mesmo local dos trágicos acontecimentos de 11 de setembro, não conseguimos deixar de sentir um arrepio na espinha.
 

7. Austrália

Um país imenso e mesmo assim com uma população reduzida. Um país tão afastado da Europa e mesmo assim com os nossos costumes. Um país onde podemos encontrar animais únicos, plantas únicas, praias espetaculares, desertos imensos, cidades grandes e organizadas. Tudo isto num só país, tudo isto só é possível na Austrália.
 

8. Madagáscar

Oitenta por cento dos animais e plantas de Madagáscar são únicos, não existindo outros iguais fora desta ilha africana. A biodiversidade deste país é uma das mais ricas do planeta. Um lugar para os que amam ver os animais no seu habitat natural.
 

9. Antártida

Antártida@pixabay

Quando alguém nos pede lugares para férias ou visita, não nos lembramos da Antártida, o deserto branco deste planeta. Por ser um dos lugares mais intocáveis da Terra, a Antártida é um desafio a nós próprios, mesmo que seja em turismo.

 

10. Caminhos de Santiago

Mais do que um destino (Santiago de Compostela), os caminhos que os peregrinos percorrem para cumprir as suas promessas são um cumprimento do destino. Seja a sair de Portugal, Espanha, França ou Itália, quem o percorre nunca mais esquece, muito menos o momento em que se depara com a Catedral da cidade galega. Foi declarado Primeiro Itinerário Cultural Europeu em 1987 e Património da Humanidade (em Espanha em 1993 e em França em 1998).
 

11. Amazónia

A Amazónia representa mais da metade das florestas tropicais remanescentes no planeta e contém a maior biodiversidade numa floresta tropical no mundo. Isto faz deste lugar, que ocupa o território do Brasil, Peru, Colômbia, Venezuela, Equador, Bolívia, Guiana, Suriname e Guiana Francesa, o lugar mais especial do planeta Terra para os amantes da natureza. Contudo, uma visita requer cautela e precaução.
 

12. Vaticano

Entrada para o Vaticano

Sejam religiosos ou não, o Estado do Vaticano não deixa ninguém indiferente. É sobretudo o ponto alto para todos os católicos, mas os amantes de arte e arquitetura podem admirar as obras de arte mais importantes que o mundo já conheceu. Além disso, na Basílica de São Pedro, percorrer os corredores onde estão sepultados a maior parte dos Papas é uma experiência única.

 

13. Roma

Forum Romano@pixabay

No ano 117, o Império Romano atingia o seu pico na extensão geográfica da Europa, norte de África e parte da Ásia, contribuindo para um legado importantíssimo e permanente na nossa arquitetura, política e sociedade. Quando estiverem no Fórum Romano, lembrem-se que ali estão mais do que pedras em ruínas, ali esteve o centro do mundo.

Rio Douro Hotel & Spa: A janela mais bonita para o Rio Douro

Eurostars Hotel Rio Douro Hotel SPA @voltoja

 

O Rio Douro é um dos cenários mais bonitos em Portugal e, felizmente, a região tem sabido corresponder às expetativas e exigências dos que a visitam. Com tanta oferta disponível, o difícil é escolher, mas é por isso que existe o Volto JÁ, para ajudar a simplificar as vossas viagens.

 

Se estão à procura de um lugar para passar um fim de semana descansado com a vossa cara metade, que não obrigue a uma grande ginástica orçamental, temos um bom conselho para vocês: Fica em Castelo de Paiva e chama-se Rio Douro Hotel and SPA

 

Escolhemos este hotel para celebrar o nosso primeiro aniversário de casamento e, depois de tanto nos recomendarem, pegamos nas malas e lá fomos. Este hotel fica a cerca de 45 minutos do Porto e servirá de quartel-general para o vosso fim de semana, ou seja, ao coloquem os pés no hall de entrada não precisarão de sair cá para fora até ao momento do check-out. Claro que o podem fazer, mas não aconselhamos, e já vão perceber porquê.

 

Quarto duplo vista rio @booking

 

O Rio Douro Hotel & Spa é feito e pensado para os casais que querem passar mais de 24 horas só um com o outro. Os quartos são muito bonitos, com grandes janelas e privilegiando as vistas para o Rio Douro [para isso têm de ficar nos quartos com vista rio]. Além disso são amplos, limpos e as camas são muito confortáveis, o que nos dificulta na hora de sair para tomar o pequeno almoço, que é variado e tudo de muita qualidade, evidenciando, uma vez mais, os produtos da região do Douro. 

 

Durante a vossa noite, têm ainda à disposição um serviço (gratuito) de almofadas, em que com um telefonema para à receção ser-vos-à entregue a almofada que mais de adapta às vossas necessidades para desfrutar de uma boa noite de sono ou simplesmente para assistirem televisão, sempre com o Rio Douro aos vossos pés, literalmente. Nota não muito positiva para o isolamento acústico dos quartos, mas nada que não nos permita uma boa noite de sono, não estivéssemos nós numa zona muito sossegada.

 

À vossa disposição têm ainda um SPA, ginásio, sala de tratamento corporal e facial, sauna e piscina interior e exterior. Se o tempo ajudar, tomem um banho cá fora, perfeito para ficar deslumbrado com as paisagens magnificas que este hotel nos oferece. Caso contrário, e se estiver frio ou chuva, não desesperem, porque a piscina interior é acolhedora, romântica e relaxante.

 

Piscina interior @booking

 

Antes da hora do jantar, podem desfrutar de um cocktail, gin ou vinho do Porto no bar do hotel, que tanto podem pedir na sala de refeições, esplanada ou mesmo cá fora na piscina, isto se o tempo ajudar. Recomendámos o gin tónico Nordés com folha de louro. O serviço é ótimo e não é caro (10€).

 

Lembram-se de termos dito que só deveriam abandonar as instalações no check-out? Pois bem, isto porque o Rio Douro Hotel & Spa tem um restaurante espetacular, que vale mesmo a pena. Para prato principal, pedimos risoto de vitela e cogumelos e ainda perna pato confitado com puré de ervilha e milho de laranja. Antes, de entrada, veio uma sopa de peixe e um folhado de queijo de cabra. Como sobremesa, não deixem de provar o pão de ló húmido, divinal. Para acompanhar esta refeição, escusado será dizer que devem pedir um vinho (branco ou tinto) do Douro. Quanto à fatura, os euros não passaram dos 65.

 

Quarto duplo vista rio @booking

 

Quanto a preços por noite, com pequeno almoço incluído, vai depender muito da época, do tempo de antecedência da reserva e das promoções em vigor, mas o quarto duplo com vista rio custa entre 100 e os 150€. Existem ainda os pacotes SPA e Romântico, dependendo das necessidades dos visitantes e do que querem usufruir durante a vossa estadia. Há ainda as suites, mas recomendamos ficarem-se pelos quartos duplos (sempre com vista rio) e gastaram um pouco mais até no jantar ou bar, e esta recomendação também é válida para os pacotes de oferta. 

 

Aprovamos e recomendamos.

Os melhores restaurantes do Minho

O Minho é a região verde de Portugal, é a terra do bacalhau à minhota, das papas de sarrabulho, dos rojões, do cozido à portuguesa, do caldo verde e, para adoçar, conta ainda com o arroz doce, a aletria e os sonhos.

 

Mas o Minho tem vindo a desenvolver a sua gastronomia por um caminho mais arriscado, tentando corresponder às exigências dos mais jovens, que procuram restaurantes mais sofisticados e, ao mesmo tempo, divertidos.

 

Desta forma, escolhemos 12 restaurantes que não vão defraudar as expetativas de quem os procura. Tivemos em atenção a diversidade dos restaurantes e o objetivo das ocasiões.

 

Vamos começar a virar o menu?

 

1. Pizzaria Don Genaro (Monção)

Pizzaria Don Genaro, Monção

É, sem dúvida, a melhor pizzaria do Minho. Podemos dizer assim de boca cheia. Além de pizzas, este restaurante em Monção conta com outras especialidades italianas e todas elas serão uma excelente escolha. Recentemente, o Don Genaro mudou-se para perto do rio Minho, sendo mais atrativo para o visitar. Ideal para uma refeição em família.

 

 

2. Casa das Velhas (Vila Nova de Cerveira)

Casa das Velhas, Cerveira

É um clássico do Alto Minho. Com umas vistas para o Rio Minho de tirar o fôlego, a Casa das Velhas, em Vila Nova de Cerveira, oferece um excelente menu típico concentrado nos sabores da região. Ideal para família durante o almoço ou um jantar romântico mais descontraído.

 

 

3. Brac (Braga)

Brac, Braga

Descontraído, informal e divertido. Se procuram um restaurante para jantares de grupo, mas que seja elegante, esta é a vossa melhor opção na capital minhota. Reúnam os vossos amigos antes da refeição para beber um cocktail no bar e deixem-se levar pelo menu do Brac, onde a qualidade nos produtos impera e onde nos esquecemos que estamos num jantar de grupo. Ideal para momentos de descontração com os amigos.

 

 

4. Sabores (Monção)

Restaurante Sabores, Monção

O Restaurante Sabores oferece aos seus clientes uma viagem gustativa sem medos. Arriscando em pratos mais sofisticados, acompanhado de uma excelente garrafeira que não esqueceu a sua localização, este espaço é um dos segredos mais bem guardados em Monção. Com vistas para o Rio Minho, o Sabores é ideal para um jantar romântico ou para um grupo pequeno de amigos que quer estar mais recatado.

 

 

5. Ferrugem (Vila Nova de Famalicão)

Ferrugem, Famalicão

Outro tesouro minhoto. É o restaurante com mais requinte desta lista e o mais discreto. Situado na Portela, estrada nº 309 que liga Famalicão a Braga, o Ferrugem promete uma viagem inigualável com o seu menu de degustação. A sala do restaurante é muito aconchegante e perfeita para um jantar romântico. Já ouviu falar do pastel de bacalhau com nata? É aqui a sua casa.


 

6. Le Babachris (Guimarães)

Le Babachris (Guimarães)

Este espaço familiar, porque não há música, televisão ou internet, situado em Guimarães oferece uma viagem surpresa aos seus clientes, uma vez que não existe ementa. Os responsáveis colocam nos pratos o que o mercado disponibiliza. Mas não se deixem enganar pelo factor surpresa, porque aqui tudo é preparado ao detalhe, tal a delicadeza com que os pratos são apresentados. Ideal para um jantar em casal, que procure concentrar-se nos sabores em vez de admirar o espaço.

 

 

7. Taberna Belga (Braga)

Taberna Belga, Braga

É a rainha das francesinhas no Minho. Toda a gente quer experimentar e todos saem satisfeitos, não é por acaso que há sempre filas na Taberna Belga. As francesinhas primam pelo molho especial que, como as outras, está guardado a sete chaves. Ideal para jantares animados em grupo.

 

 

8. Cosy (Braga)

Cosy, Braga

O Cosy é o menino bonito da lista. É um restaurante-bar, inspirado nas caves de champanhe, e por isso o ambiente é jovem, elegante e descontraído. Com música ambiente e DJ, é o espaço perfeito para descontrair numa sexta ou sábado à noite, antes de se aventurar na noite de Braga. Não pensem que nos esquecemos de colocar um restaurante de sushi nesta lista: esta é a vossa melhor opção para comida oriental no Minho.

 

 

9. Bira dos Namorados (Braga)

Bira dos Namorados, Braga

Depois de pizzas e francesinhas não podíamos esquecer-nos dos hambúrgueres. Os melhores ficam em Braga e ficam na Bira dos Namorados. Além de colocarem grande qualidade e diversidade de ingredientes em cada sanduíche, o espaço é original e perfeito para uma refeição descontraída entre amigos que não querem perder muito tempo sentados à mesa.

 

 

10. ChelLo's (Guimarães)

Chello's, Guimarães

Outro restaurante sofisticado na cidade histórica de Guimarães. Destacamos a diversidade no menu do Chello's e o risco de ter várias opções de prato acaba por valer a pena. Outro ponto a favor deste restaurante são as vistas para o centro histórico vimaranense. A sala intimista e a luz deste espaço convidam a um jantar descontraído a dois.

 

 

11. Turismo Restaurante Lounge (Barcelos)

Turismo Restaurante Lounge, Barcelos

Bonito e com vistas para a cidade de Barcelos e para o rio Cávado, o Turismo Restaurante Lounge era o espaço que a cidade do Galo precisava. Oferece gastronomia moderna, sem esquecer os sabores da região, e um serviço excelente com um atendimento exemplar. Ideal para um jantar romântico, mais calmo e íntimo.

 

 

12. Bocados (Ponte de Lima)

Bocados, Ponte de Lima

O Bocados é o restaurante que oferece uma experiência única por quem lá quer passar. Só serve produtos de mercado e nunca saberá qual é a ementa. O preço é fixo (27,50 euros sem bebidas), mas pode contar com pratos únicos e deliciosos. Dizemos únicos porque vai jantar (não serve almoços) a casa do proprietário e é mesmo ele que o serve. Com estas caraterísticas é necessário fazer reserva e aconselhamos que o visitem em (pequeno) grupo.

Inferno: Os mais belos lugares de Florença e muito mais

Florença, Itália

 

Na terceira aventura de Dan Brown (depois de O Código Da Vinci e Anjos e Demónios) adaptada ao cinema, continuamos a seguir o rasto do professor Robert Langdon, que através dos mistérios que tem para resolver, descobrimos os espetaculares locais de gravação.

 

O filme Inferno foi filmado, principalmente, em Florença, mas também em Veneza, Istambul e Budapeste. Desde que o best-seller, com o mesmo nome, foi publicado em 2013, a capital da Toscana tem atraído muitos turistas, que procuram os lugares onde a ação decorre.

 

Tom Hanks volta ao papel do simbologista mais famoso da literatura (e agora do cinema), que acorda num hospital com amnésia. Com a ajuda de Felicity Jones (conhecida pelo papel no filme A teoria de Tudo), como Dr.ª Sienna Brooks, juntos têm de salvar a humanidade de um complô mundial e mortal.

 

Piazza della Signoria, Florença

 

"Temos que chegar a Florença!": Muitas cenas exteriores foram filmadas na Piazza della Signoria e no centro histórico da cidade, inclusive num apartamento perto do Rio Arno. 

 

Torre do Sino, na Badia Fiorentina

 

A abertura do filme, que também pode ser visto no trailer, decorre no topo da torre da Badia Fiorentina, perto da 'Casa di Dante'. (à direita na foto)

 

Batistério de São João, em Florença

 

Os dois personagens principais de Inferno visitam o Batistério de São João. Localizado em frente à famosa Catedral de Florença Il Duomo, este edifício octogonal, do século XI, é o lugar onde o poeta italiano Dante, e muitas outras figuras renascentistas notáveis, ​​foi batizado.

 

Palazzo Vecchio, Florença

 

Palazzo Vecchio é a sede executiva de Florença. Este lugar exclusivo foi fechado aos visitantes para a gravação do filme, incluindo o Salone dei Cinquecento (O Salão dos Quinhentos). Contudo, a sequência que decorre posteriormente no telhado foi filmada depois num estúdio em Budapeste.

 

Passagens subterrâneas em Florença

 

Robert Langdon descobre passagens secretas que o levam através do Corredor Vasari (il Corridoio, de 1566). Esta obra de engenharia notável, mandada construir pelos governantes Medici, liga o Palazzo Vecchio (sede do governo) à residência da família, o Palazzo Pitti.

 

Galleria degli Uffizi e a Ponte Vecchio, ainda em Florença

 

O Corredor de Vasari percorre a Galeria Uffizi, atravessa a Ponte Vecchio, e passa pela igreja de Santa Felicita, onde a família Medici assistia à missa sem se misturar com as pessoas comuns. Isto foi o que os protagonistas do filme fizeram para evitar o perigo.

 

Palácio Pitti, em Florença

Os Jardins de Boboli, perto do Palácio Pitti, no coração de Florença. Robert e Sienna escapam através das passagens dos jardins, repleto de magníficas estátuas e fontes.

 

Veneza, Itália

 

Veneza é outra cidade que desempenha um papel importante no romance e não foi esquecido no filme. Algumas sequências foram filmadas no Grande Canal, na Basílica de São Marcos e na Praça de São Marcos.

 

Budapeste, Hungria

 

Aproveitando a localização europeia, a produção decidiu fazer alguns ajustes recorrendo aos Estúdios Origo e Korda em Budapeste (Hungria). Além de gravações no interior, a praça Gutenberg, perto da Casa da Ópera, também serviu de cenário para Inferno.

 

Istambul, Turquia

 

Os locais de filmagem em Istambul (Turquia) são igualmente espetaculares. Inferno também tem ação na majestosa

Basílica de Santa Sofia, a catedral bizantina que se transformou numa mesquita e posteriormente num museu.

 

Cisterna de Basílica, perto da Basílica de Santa Sofia

 

A Cisterna da Basílica é outra atração turística em Istambul. A câmara subterrânea, construída no século VI, dispõe de 336 colunas (que parecem ter sido recicladas a partir de edifícios mais antigos), assim como misteriosas cabeças de Medusa. A Cisterna da Basílica foi fechada ao público durante quatro dias para a gravação do filme.

 

Inferno estreia a 13 de outubro nas salas de cinema em Portugal.

Pág. 1/2