Provavelmente, lembram-se dele a apontar o dedo num cartaz publicitário com a seguinte frase "I Want You for the U.S. Army", contudo, a sua origem é bastante anterior a isso. Teremos de recuar até 1812, ano de início da guerra que consolidou a independência dos Estados Unidos da América face ao Reino Unido.

 

Essa guerra teve a duração de três anos e, durante esse período, as tropas norte americanas recebiam como alimentos barris de carne com as iniciais U.S., referentes a United States. Saber que o fornecedor de carne era um homem de Troy, Nova Iorque, chamado Samuel Wilson, foi o suficiente para os soldados norte-americanos fazerem rapidamente um trocadilho. Em jeito de brincadeira começaram a dizer que quem lhes enviava a carne era o Uncle Sam (diminutivo de Samuel), que abreviado ficaria U.S., as iniciais marcadas nos barris.

 

Desde aí, o Tio Sam nunca mais foi esquecido, mas apenas em 1870 uma imagem foi associada ao nome, pelas mãos do cartoonista Thomas Nast. Um senhor de feições magras, cabelo e barba brancos, chapéu alto e vestido com as cores da bandeira, foi assim que apareceu pela primeira vez o Tio Sam. Acredita-se que a inspiração para a sua imagem foi um dos presidentes mais importantes da História do país, Abraham Lincoln.

 

Em 1917, a pedido das Forças Armadas Norte Americanas, que recrutavam para a Primeira Guerra Mundial, o artista James Flagg criou o famoso cartaz publicitário que recordámos acima, ajudando assim a consolidar o Tio Sam como um dos símbolos mais populares dos Estados Unidos da América.

 

Em 1961, o Congresso Norte Americano reconheceu Samuel Wilson como a figura de inspiração desta personagem.