Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

voltoja

Que tal uma escapadinha a Roma?

Villa Medicci

 

Roma é um cidade cheia de locais inesperados, tem de ser explorada a pé. Por isso equipem-se com os vossos melhores sapatos, vão ser necessários para redescobrir a cidade eterna.

 

Dia 1

Comecem o vosso primeiro dia na capital italiana com uma visita a um dos grandes símbolos desta cidade, o Coliseu. O melhor é ir muito cedo para não serem apanhados em grandes filas. Outra sugestão é hora do almoço. O bilhete custa 12 euros e dá acesso também ao Palatino e Forúm Romano. Também podem tentar nas bilheteiras do Fórum Romano, normalmente tem menos fila. Se estão a perguntar se vale a pena visitar este trio de locais, a resposta é simples, é imperdível para quem visita Roma.

 

Ao saírem pelo Fórum Romano vão dar de frente com o Campidoglio, que ao lado tem o Museu Capitolino (15€). Se forem (muito) interessados em arte, não deixem de visitar, mas fiquem a saber que se estão com pouco tempo, ou não querem gastar muito dinheiro, podem passar este museu. É só mesmo para os grandes interessados em arte, pois nesta cidade há outros museus obrigatórios. Mas a verdadeira obra de arte deste espaço é o Monumento a Vittorio Emanuele II. Uma edifício majestoso que pode ser visitado de forma gratuita, mas o verdadeiro encanto está cá fora.

 

Se ainda estiverem com tempo, e forem grandes fãs do Império Romano, dêem um salto ao Mercado de Trajano e Museu dos Fóruns Imperiais. Tenham consciência que Roma é uma cidade onde as ruínas romanas são grandes atrações, por isso, visitem apenas se estiverem mesmo interessados. O bilhete custa 14 euros.

 

Querem acabar o vosso dia em grande, andem mais um pouco e vejam, de noite, a bela Fontana di Trevi (gratuito), a maior e mais ambiciosa construção de fontes barrocas da Itália. Este local é mágico e merece uma dupla visita, de dia e de noite.

 

Dia 2

Lembram-se de terem terminado o vosso dia anterior na Fontana di Trevi? Já estão com saudades dela? Então que tal voltar a visitá-la? Façam-no, não se vão arrepender. Agora de dia atirem uma moeda à água, dizem que dá sorte e os que o fazem voltam à Cidade Eterna. Andem apenas um metros para encontrarem o Panteão, uma das mais bem preservadas estruturas romanas antigas. Entrem, é gratuito, e olhem bem para cima e ao vosso redor.

 

Quem vai a Roma também vai à procura de duas especialidades gastronómicas: gelados e pizzas. Se estiverem com muita fome, vamos recomendar aquele que para nós serve as melhores pizzas à fatia da cidade, o Da Michelle, na Via dell'Umiltà, nas ruelas entre o Panteão e a Fontana. Está um pouco escondido e é muito pequeno, mas insistam porque vale mesmo a pena. Provem uma fatia de salsichas e brócolos ou de cogumelos e rúcula.

 

Continuam com fome e querem uma sobremesa à altura? Vamos então para os gelados. Os melhores são sem dúvida os do Giolitti, entre o Panteão e o parlamento italiano. Existem centenas de gelatarias, com milhares de sabores, mas este recomendamos de olhos fechados. Muita variedade e extrema qualidade na textura. Querem um conselho? Peçam uma recomendação aos senhores do Giolitti para vos fazerem uma combinação de sabores.

  

Piazza Navona

 

Continuem a vossa tarde a andar e a explorar à vossa vontade. Roma é mesmo isso, perder-se e encontrar algo inesperado em casa esquina. Mas não deixem de passar na Piazza Navona, uma das praças mais bonitas do mundo, pela Piazza Popolo e pelas lindíssimas ruas Via Margutta, perto da Praça del Popolo, e Via del Governo Vecchio, perto da Praça de Espanha.

 

Piazza Navona

 

E por falar em Praça de Espanha, é aqui que devem terminar o vosso dia. A desfrutar da vista e a passear pelas ruas onde moram as grandes marcas de luxo em Roma.


Dia 3

Preparem-se, pois este será o dia mais cansativo da vossa viagem. É a hora de visitar o Vaticano. Tal como foi recomendado para o Coliseu, vão muito cedo para não apanharem fila, ou tentem à hora do almoço.

 

Praça de São PedroVistas desde a cúpula da Basílica de São Pedro

 

A visita ao Vaticano é dividida em duas partes, a Basílica de São Pedro e os museus. No último domingo de cada mês, a visita aos museus é gratuita mas só é permitida a entrada até às 12h30, por isso fiquem atentos às horas. Caso a vossa visita não calhe no último domingo, recomendamos comprar os bilhetes para os museus, uma vez que a entrada na Basílica é gratuita, no site oficial, onde poderão encontrar ingressos com preços mais baixos e assim evitarem as filas de espera.

 

Comecem então pela visita à Basílica de São Pedro, a maior e mais importante igreja do catolicismo. Em Roma irão encontrar muitas igrejas espalhadas pela cidade, mas nenhuma será como esta. Aqui é o berço da fé católica. Lá dentro, e isto é importante, não deixem de visitar as tumbas onde estão sepultados alguns dos antigos papas. Estar à frente da tumba de São Pedro é algo que não se esquece.

 

 Na cúpula da Basílica de São PedroSaída da cúpula da Basílica

 

Também podem optar por subir à cúpula, que tem um custo de 5 ou 7 euros, mas desaconselhamos esta subida aos que estão em menos boa forma física, pois são mesmo muitas escadas, mesmo com a ajuda do elevador, e porque irão encontrar outras formas de desfrutar das vistas noutros locais.

 

Nos museus, deixem-se perder e envolver pelos corredores do, possivelmente, melhor museu do mundo - está na disputa com o Louvre. O problema dos museus do Vaticanos é estarem sempre cheios, por isso, o melhor é deixarem-se levar pela corrente das pessoas, ainda bem que há os jardins para descansarem. Quase a terminar vão passar pela Capela Sistina, fiquem o tempo necessário aqui. Mas não se esqueçam: ‘NO PHOTO!’

 

Basílica de São Pedro

 

Sabemos que o dia foi cansativo, mas ainda precisam de fazer mais uma coisa, que recomendamos por estarem muito perto, e trata-se da visita ao Castelo Sant’Angelo. Contudo, até aconselhamos que façam esta visita antes do Vaticano (se optarem pela entrada no estado mais pequeno do mundo à hora do almoço), isto porque irão desfrutar mais das vistas da cidade e podem comer um bom focaccia enquanto descansam. A entrada no Castelo custa 10.50€.

 

Querem terminar o vosso dia com um belo Tiramisú? O Pompi, o restaurante que diz servir o melhor tiramisú do mundo, abriu uma pequena loja perto do Vaticano, por isso aproveitem. Fica na via Cola di Rienzo, mas também existe em outros locais, como perto da Praça de Espanha.

 

Dia 4

Começamos este último dia com a visita a duas Villas, que, na Roma Antiga, eram moradias cujas edificações formavam o centro de uma propriedade que pertencia a famílias com grandes posses, e hoje são locais de visita.

 

Villa Medicci

 

Destacamos aqui as duas mais importantes e de visita obrigatória: a Medicci e a Borghese. Calma, elas são vizinhas por isso não terão de andar muito, mas mesmo assim vão gastar uma manhã. Comecem bem cedo pela Borghese, passeiem no jardim antes de entrar nas suas galerias, uma das mais impressionantes entre as Villas, contando com esculturas e pinturas de Bernini, Caravaggio, Leonardo da Vinci, Raffaello, Rubens, Ticiano. Não precisamos de dizer mais nada pois não? Recomenda-se fazer uma reserva antecipada na internet, mas a verdade é que das duas vezes que lá fomos compramos diretamente nas bilheteiras. O ingresso custa 11€.

 

Quando saírem, deixem-se envolver pelo espirito das famílias poderosas da altura, atravessem a rua e estão na Villa Medicci. E aqui atenção. As visitas têm de ser guiadas e parte delas são em francês e/ou italiano, só existe uma por dia em inglês, ao meio-dia em ponto. Por isso, se o inglês for mais fácil para vocês não se atrasem. O bilhete custa 12 euros e vale mesmo a pena.

 

Villa Medicci

 

Entendemos que estão muito cansados, já que vão no vosso quarto dia, e por isso aconselhamos fazer algo divertido, como andar num tuk-tuk pelas imediações da Villa Medicci. Uma hora é suficiente para descansarem um pouco e desfrutarem, uma vez mais, das vistas desta bela cidade.

 

Vistas desde a Villa Medicci

 

Se ainda estiverem com vontade de fazer mais visitas, uma mais rápida, recomendámos descer a Via Venneto, que aloja os hotéis luxuosos da cidade, e entrarem na Santa Maria della Concezione dei Cappuccini. Esta é uma visita mais mística, onde ficarão a conhecer o dia a dia dos monges e capelas decoradas com ossos humanos.

 

Agora, e para não se cansarem mais, apanhem um metro (cada bilhete custa 1.50€) até ao Circo Massimo, outrora um grande campo de animação para os romanos e nos dias de hoje é apenas um descampado. Passem por lá e dirijam-se até à Bocca della Verità. Não é um espaço de visita obrigatória, mas é algo divertido de se fazer, tirar uma foto com o/a vosso/a apaixonado/a.

 

Rio Tibre

  

Para se despedirem em grande de Roma, atravessem o Rio Tibre e deixem-se perder por Trastevere, é um dos nossos sítios preferidos de Roma. Outro conselho que vale ouro: Já ouviram falar dos Aperitivos em Roma? Pois, aqui, nesta zona há imensos e muito bons. Nos aperitivos podem comer, sem pagar, o que estiver em cima da mesa ou balcão, para isso basta apenas pedir uma bebida para acompanhar a vossa refeição. Querem saber onde está o melhor? Na Via del Politeama, em Trastevere (4-6) e chama-se Freni e Frizioni. Os cocktails (10€) são possivelmente os melhores que já bebemos em toda a nossa vida. E é desta forma que se vão despedir de Roma, deixem-se levar pelo momento.

 


Notas: Se tiverem tempo, o que achamos difícil, visitem ainda as Basílicas di San Giovanni in Laterano, Santa Maria Maggiore, Basílica di Santa Maria D’Aracoeli e Santa Maria degli Angeli e dei Martiri. Todas de entrada gratuita e ficam perto da Estação de Termini.


Alojamento: Apesar de ser necessário andar muito a pé pela cidade, é importante ficarem bem alojados, já experimentámos ficar no Hotel Anahi (cerca de 90 euros por noite sem pequeno almoço), perto da Praça de Popolo, e no Trevi B&B Roma (80 euros por noite com pequeno almoço), perto da Fontana di Trevi. 

 

Como ir do aeroporto para o centro:
Fiumiccino: Apanhem um metro até ao centro, é cómodo e barato.
Ciampino: Podem apanhar um autocarro da Terravision (4€) até Termini ou, se tiverem mais tempo e querem gastar menos, podem apanhar um autocarro de serviço público até Anagnina (1,20€) e depois o metro (1.50€) até à estação mais próximo do vosso alojamento.

10 comentários

Comentar post