Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

voltoja

Querer viajar é saber planear com paciência

Planear uma viagem

 

 

Nos últimos anos temos feito algumas viagens que até há pouco tempo pareciam ser inacessíveis, de tão dispendiosas. Falamos por exemplo de Japão e sul de França. Vamos tentar ajudar-vos, sem oferecer dinheiro, a planear as vossas férias para que elas não pareçam tão caras. Mas não se enganem, há que pegar no cartão bancário.

 

Temos de ser sinceros, ir a estes sítios não é passar um fim de semana com os amigos numa casa alugada. É preciso gastar dinheiro e esquecer algumas peças de roupa que há muito queríamos comprar ou adiar aquela ida ao restaurante caro da cidade. O truque é conseguir dosear os nossos gastos. Vamos deixar algumas dicas de como conseguir planear aquela viagem que há muito andam a adiar, falando das nossas experiências.

 

Tal como disse Filipe Morato Gomes na sua crónica do Diário de Notícias, “viajar não é coisa de ricos”, e nós subscrevemos por inteiro.

 

Não somos adeptos das marcações de última hora, pois não permitem planear, que é a verdadeira razão deste tópico. Costumamos marcar pelo menos com seis meses de antecedência, sejam umas férias intercontinentais ou uma escapadinha de fim de semana.

 

O primeiro a fazer é comprar a viagem de avião. Recorram aos motores de busca. Temos preferência pelo Momondo mas o Skyscanner também não está mal. Sejam flexíveis nas datas e lembrem-se que viajar a meio da semana e durante a noite pode sair mais barato.

 

Depois dos resultados nos motores de busca não perdem nada em espreitar o site da própria companhia área para verificar o preço. Não é comum, mas os motores de busca também precisam de ganhar dinheiro e os valores podem ser diferentes. Tenham sempre à mão um cartão de débito, assim evitam taxas desnecessárias. Lembrem-se que desta forma irão estar já a pagar a vossa viagem de avião.

 

Sejam pacientes. O valor apresentado hoje pode não ser o mesmo de amanhã. Por isso pesquisem todos os dias a viagem pretendida e podem ser brindados com uma descida de preço. Contem que também podem sofrer alterações para cima. Confiem nos vossos instintos.

 

No ano passado conseguimos uma viagem de avião para o Japão por menos de 500 euros e foi graças à ajuda do Facebook. Na altura seguíamos o feed da companhia KLM - façam o mesmo que têm excelentes promoções - e surgiu esse preço. O processo de compra ficou aberto apenas dois dias, com viagem marcada para sete meses depois. Falámos um com o outro e comprámos logo, até porque não havia muito tempo para decidir - apanhados (com muita satisfação) na armadilha da compra por impulso... Este tipo de promoções tem meses marcados para a concretização, por isso, se têm flexibilidade na marcação de férias ajuda e muito. Estejam atentos e subscrevam as newsletters de várias companhias aéreas, preferencialmente as que voam para os vossos destinos de sonho.

 

Já com o avião marcado, passem para a pesquisa de hotéis. Apreciamos o serviço do Booking e o Agoda, mas por vezes não é lá que estão os melhores preços. E é aqui que surge o segundo truque. Se vão reservar mais de um hotel para a vossa viagem, doseiem os gastos. Paguem pelo menos um na altura de reserva (espreitem o Gala Hotels) e deixem o outro para pagar durante a estadia. Se conseguirem o pequeno-almoço incluído aproveitem, que é cada vez mais raro nas opções de reserva.

 

Caso queiram incluir um aluguer de carro nas vossas férias - o que não se justifica para uma escapadinha numa cidade grande - façam o seguinte. Um mês, ou dois, depois da terem comprado os bilhetes de avião procurem no Rentalcars (serviço ótimo), AtlasChoice e Auto Europe (excelentes preços) ou economyrentalcars as vossas melhores opções. 

 

Pensem que estão de férias e não precisam de um carro vistoso. Aluguem um carro económico, pois, além do preço do carro, a despesa da gasolina também sairá da vossa carteira. Nos referidos sites deixam apenas um depósito (atenção que desta forma perdem o cancelamento gratuito) que ronda os 25 ou 35 euros e terão de pagar o restante apenas um mês antes do levantamento. Tenham sempre atenção com os tipos de seguros e verifiquem se o vosso contrato tem quilómetros limitados, assim como a política de abastecimento.

 

Para concluir, e muito importante, falem do orçamento para gastar durante as férias. Estipulem um orçamento máximo. Costumamos fazer uma média de 100 euros por dia, por casal, mas geralmente acabamos por gastar só 80 por cento desse valor. O truque é ir juntando os extras que vamos ganhando ou aquele dinheiro que sobra ao final de cada mês.

 

Aconselhamos a não recorrer ao método ‘mealheiro’, aquele que fica religiosamente guardado no vosso quarto. Deixem o dinheiro guardado de lado apenas na vossa mente, mas que na verdade está à disposição na vossa conta bancária. Isso tornar-vos-á mais disciplinados para futuras viagens.

 

Têm outro truque que queiram partilhar connosco? Estamos prontos para ouvir.

 

Até JÁ

5 comentários

Comentar post