Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

volto já

para quem pertence a vários lugares

volto já

para quem pertence a vários lugares

Para quem quer apaixonar-se em (e por) Paris

Para quem quer apaixonar-se em (e por) Paris

 

Se querem um guia para encontrar os melhores museus, monumentos ou igrejas de Paris estão no lugar errado. Aqui vamos apresentar um roteiro de três dias e duas noites para casais apaixonados que querem aproveitar ao máximo um do outro, tendo a cidade francesa como pano de fundo.

Paris foi a última etapa da nossa lua de mel e a capital francesa nunca cansa, seja em que altura ou momento for.

Apresentamos os quatro pontos que achamos serem essenciais para uma visita intensa pelas ruas de Paris.

 

1- Alojamento

Por esta altura, e sempre, privilegiamos a localização, por isso escolhemos o Hotel Victoria Chatelet, no 1er arrondissement de Paris. Estamos numa das cidades com o alojamento mais caro do mundo, por isso os 150 euros por noite, sem pequeno almoço, é um preço em conta. Para os mais ousados, podem experimentar o Hotel Maison Souquet, no 9er arrondissement, perto de Moulin Rouge, isto para quem procura um ambiente mais intimista e romântico. Aqui ficam duas opções diferentes e ambas excelentes.

 

2- Passeios a pé

É assim que se conhece qualquer cidade e Paris não é exceção. Foram mais de 48 horas sem entrar num táxi ou metro. Claro que ficamos com os pés doridos, mas digam lá se aquela sensação, cansados, de entrar num banho relaxante e deitar logo de seguida, depois de um dia em grande, não é das melhores do mundo.

Os jardins de Luxemburgo (para um almoço-piquenique) e os Jardins das Tulherias são ótimos locais para se passear calmamente durante uma tarde. Quanto a caminhadas, têm de fazer o percurso do Museu do Louvre até à Torre Eiffel e, na volta, até Notre Damme e daqui até ao Bairro de St Germain. Não precisam de fazer tudo num dia, dividam-no em momentos diferentes da vossa viagem. Claro que uma foto em Trocadéro, com vistas para a 'Dama de Ferro', é imprescindível nesta viagem.

O passeio mais bonito que podem fazer é ao longo do Rio Sena, sendo obrigatório fazê-lo de dia e noite.

 

Passeio noturno pelo Rio Sena, em ParisCRÉDITOS: PIXABAY

 

3- Restaurantes

Já falamos dele várias vezes, mas a nossa experiência no Kong foi memorável. Não é o melhor restaurante de Paris, longe disso, mas o ambiente e a decoração fazem dele um dos melhores, pelo menos no nosso coração. É um Restaurante-Bar, com ambiente jovem e informal, ideal para um jantar elegante e um resto de noite muito animado.

L’ Avenue é um dos mais procurados pelos famosos, tendo ficado ainda mais conhecido depois do casal Kardashian-West ter passado por lá durante a Semana da Moda de Paris. Recomendamos um almoço em vez de jantar e na esplanada, como um verdadeiro parisiense.

 

Kong (Paris)CRÉDITOS: RESTAURANTE KONG

 

Atenção, façam reserva para ambos os restaurantes.

Se querem algo mais rápido, mas igualmente saboroso, procurem as cadeias de hambúrgueres Big Fernand. Não se vão arrepender.

 

4- Pastelarias

É a meca da pastelaria mundial. Ninguém faz pastelaria fina como os franceses e não quisemos deixar de visitar três das mais conhecidas, e com mérito, durante a nossa estadia. Têm de tomar um pequeno-almoço no Angelina da Rue de Rivoli, um lanche no Ladurée para provar os macarons mais famosos do mundo, assim como os L'éclair de Génie.

 

Angelina, ParisCRÉDITOS: WIKIMEDIA COMMONS

 

Para algo mais sofisticado e menos doce, visitem o bar do Pershing Hall, ideal para um café ou mesmo um cocktail, seja de dia ou de noite.

Lembramos que aqui queremos partilhar a nossa experiência em Paris, a dois, sem perdas de tempo em filas para museus e monumentos. Com isto, não queremos dizer para não os visitarem, muito pelo contrário, já que uma subida à Torre Eiffel ou uma visita ao Museu do Louvre tornam qualquer visita à capital francesa muito mais rica.

Como já fomos muitas vezes a Paris e contamos ir muitas mais, quisemos desfrutar um do outro na cidade do amor e, seguindo este guia, conseguimo-lo, com distinção.

Dicas de destinos para quem está a organizar uma despedida de solteiro

Está sem ideias para organizar a despedida de solteiro do ano? Relaxe, temos excelentes dicas de destinos que deixarão os noivos com a fasquia elevada para o próprio casamento. Não queremos que falte nada aos que vão deixar de ser solteiros, afinal só se casa uma vez, certo?

 

Sabemos que organizar uma despedida de solteiro/a pode ser tão (ou mais) complicado do que preparar o próprio casamento e a decisão do local é de extrema importância, por vários fatores. O destino escolhido terá de ser do agrado e ir ao encontro da personalidade do noivo ou noiva, tendo ainda a preocupação de facilitar a viagem para os que querem desfrutar de uma escapadinha com os/as amigos/as.

 

Desta forma, e para quem está a organizar uma despedida de solteiro/a, temos dicas de destinos para se divertirem ao máximo e ser memorável. Tivemos em conta o fator proximidade e por isso escolhemos algumas cidades do país vizinho, numa lista em que consta um destino português.

 

Tenha em atenção que alguns dos destinos implicam uma viagem de avião, o que exigirá uma maior organização (e paciência) por parte dos padrinhos ou madrinhas, mas só se casa uma vez, certo?

 

Veja a nossa lista e comece a partilhar com os restantes amigos/as da organização de despedida de solteiro/a. Todos os destinos escolhidos servem igual para noivo ou noiva.

 


Amesterdão (Holanda)

Amesterdão (Holanda)

É a cidade dos pecados, da descompressão e da descontração. Durante o dia passeiem de bicicleta pela cidade e à noite percam-se (em segurança) pelas ruas animadas.


Valência (Espanha)
Além de estar a uma curta distância de Portugal, esta cidade oferece-nos o moderno (para o dia) e o histórico (para a noite). Como extra: ainda temos uma praia ao nosso dispor.


Liubliana (Eslovénia)
Não se deixem enganar pelos encantos de Liubliana, que mais parece um conto de fadas. É uma cidade com uma noite sofisticada e com muita opção de bares e discotecas de qualidade. Por estar tudo concentrado, as deslocações tornam-se fáceis. Contem ainda com preços razoáveis nas refeições e alojamento.


Porto (Portugal)

Porto (Portugal)

Tinha de existir uma cidade portuguesa nesta lista e escolhemos a Invicta. A baixa da cidade está cheia de excelentes opções. Além disso, é aqui tão perto.


Vigo (Espanha)
A cidade galega é já uma tradição nisto de despedidas de solteiro. Aliás, está mais do que preparada para receber os grupos que anseiam por diversão durante uma noite. Mais, não precisam de viajar de avião para lá chegar.


Madrid (Espanha)
Tem vindo a crescer de popularidade, nos últimos anos, nos destinos de despedidas de solteiros fora de Portugal e toda a gente sabe a razão. É perto, animada e dá para circular de bar em bar descontraidamente.


Barcelona (Espanha)
É uma opção mais requintada em Espanha. Além de praia, tem também excelentes 'rooftops' e bares muito sofisticados. Não se deixem ficar apenas pelas 'Las Ramblas' e percam-se, com estilo, na noite catalã.


Salamanca (Espanha)

Salamanca, Espanha

Salamanca é a cidade universitária espanhola por excelência, por isso, vai ser fácil encontrar muita animação no centro, com bares recheados de gente jovem e preparada para a diversão.


Budapeste (Hungria)

Budapeste (Hungria)

Sabemos que é a cidade mais afastada desta lista, mas vale mesmo a pena. A sua deslocação engloba uma maior organização e paciência. Mas quando lá chegarem, e se depararem com a noite de Budapeste, irão agradecer-nos. Além disso, conta com preços em conta nas refeições e alojamento.


Roma (Itália)
É a cidade ideal para aqueles que preferem desfrutar mais do dia do que da noite. Podem aproveitar os 'aperitivos' em Trastevere e depois ir para os bares perto do Panteão.


Dublin (República da Irlanda)
Cidade animada por excelência, gerada pela boa disposição dos irlandeses e perfeita para os amantes de 'pub's'. Uma escolha acertada para os que gostam de ficar em bares rodeados de cerveja. Acreditem, toda a gente deveria experimentar.


San Sebastian (Espanha)

San Sebastian (Espanha)

Pode passar despercebida, mas San Sebastian é perfeita para despedidas de solteiro. Na cidade velha encontrarão boas pastelarias, bons restaurantes de 'pintxos' e muita animação durante o dia e noite. Se tiverem sorte ainda conseguem ir à praia. Fica um pouco longe, mas também dá para lá chegar de automóvel.

Só Woody Allen para nos fazer viajar numa sala de cinema

 

Este mês chega às salas de cinema mais um filme de Woody Allen, o Café Society, e aproveitamos o momento para recordar as cidades que o realizador norte-americano imortalizou no cinema através da lente da sua câmara.

 

 

As 20 melhores cidades para se fazer compras

É daqueles ou daquelas que adora viajar e fazer compras ao mesmo tempo? Então comece a poupar porque vamos apresentar as 20 melhores cidades para se fazer compras pelo mundo.

 

Para chegar a esta lista, foi considerado o número de lojas de luxo, lojas de grandes cadeias, lojas de beleza/cosméticos/perfumarias e lojas de rua (comércio tradicional e coisas usadas) em cada cidade, num estudo foi levado a cabo pelo site brasileiro Um Só Lugar, com pontuação de 0 a 5.

 

Para quem está a pensar gastar muito dinheiro em compras, podem contar com um ajuda da nossa parte. Mostramos o preço do transporte público (uma viagem) e de um café latte grande no Starbucks em cada uma das cidades.

 

Os viajantes europeus estão com sorte, uma vez que 11 das 20 vinte cidades ficam no Velho Continente e uma delas é portuguesa. América do Sul conta apenas com um representante, numa lista onde não há cidades africanas ou da Oceania.

 

Entenda-se que por 'compras de luxo' estamos a falar de marcas como Tom Ford, Dior, Chanel, Versace, Prada, Gucci ou Louis Vuitton. Por 'grandes cadeias' referimo-nos a Zara, H&M, Primark ou Benetton. Para beleza, cosméticos e perfumarias consideram-se lojas como Sephora, MAC ou Kiko.

 


1. Londres

Londres@pixabay

 

Compras de Luxo: 4 pontos
Grandes cadeias: 5 pontos
Beleza, cosméticos e perfumarias: 5 pontos
Lojas de rua: 5 pontos
Transporte público: 6.60€
Café Latte do Starbucks: 3.54€

 


2. Nova Iorque

Nova Iorque@pixabay

 

Compras de Luxo: 4 pontos
Grandes cadeias: 3 pontos
Beleza, cosméticos e perfumarias: 5 pontos
Lojas de rua: 5 pontos
Transporte público: 2.44€
Café Latte do Starbucks: 3.52€

 

 

3. Paris

Paris@pixabay

 

Compras de Luxo: 5 pontos
Grandes cadeias: 4 pontos
Beleza, cosméticos e perfumarias: 5 pontos
Lojas de rua: 3 pontos
Transporte público: 1.90€
Café Latte do Starbucks: 4.05€

 

 

4. Los Angeles

Los Angeles@pixabay

 

Compras de Luxo: 3 pontos
Grandes cadeias: 1 pontos
Beleza, cosméticos e perfumarias: 5 pontos
Lojas de rua: 4 pontos
Transporte público: 1.55€
Café Latte do Starbucks: 3.35€

 

 

5. Tóquio

Tóquio@pixabay

 

Compras de Luxo: 5 pontos
Grandes cadeias: 2 pontos
Beleza, cosméticos e perfumarias: 4 pontos
Lojas de rua: 2 pontos
Transporte público: 1.25€
Café Latte do Starbucks: 2.74€

 

 

6. Madrid

Madrid@pixabay

 

Compras de Luxo: 2 pontos
Grandes cadeias: 5 pontos
Beleza, cosméticos e perfumarias: 4 pontos
Lojas de rua: 2 pontos
Transporte público: 1.50€
Café Latte do Starbucks: 2.40€

 


7. Moscovo

Moscovo@pixabay

 

Compras de Luxo: 2 pontos
Grandes cadeias: 4 pontos
Beleza, cosméticos e perfumarias: 3 pontos
Lojas de rua: 4 pontos
Transporte público: 0.67€
Café Latte do Starbucks: 3.75€

 


8. Istambul

Istambul@pixabay

 

Compras de Luxo: 2 pontos
Grandes cadeias: 4 pontos
Beleza, cosméticos e perfumarias: 3 pontos
Lojas de rua: 4 pontos
Transporte público: 1.19€
Café Latte do Starbucks: 2.29€

 


9. Barcelona

Barcelona@pixabay

 

Compras de Luxo: 2 pontos
Grandes cadeias: 5 pontos
Beleza, cosméticos e perfumarias: 2 pontos
Lojas de rua: 3 pontos
Transporte público: 2.15€
Café Latte do Starbucks: 2.40€

 


10. Berlim

Berlim@pixabay

 

Compras de Luxo: 2 pontos
Grandes cadeias: 4 pontos
Beleza, cosméticos e perfumarias: 3 pontos
Lojas de rua: 3 pontos
Transporte público: 2.70€
Café Latte do Starbucks: 3.75€

 


11. Hong Kong

Hong Kong@pixabay

 

Compras de Luxo: 4 pontos
Grandes cadeias: 3 pontos
Beleza, cosméticos e perfumarias: 3 pontos
Lojas de rua: 1 pontos
Transporte público: 0.95€
Café Latte do Starbucks: 4.14€

 


12. Banguecoque

Banguecoque@pixabay

 

Compras de Luxo: 2 pontos
Grandes cadeias: 2 pontos
Beleza, cosméticos e perfumarias: 3 pontos
Lojas de rua: 4 pontos
Transporte público: 0.40€
Café Latte do Starbucks: 2.93€

 


13. Milão

Milão@pixabay

 

Compras de Luxo: 3 pontos
Grandes cadeias: 3 pontos
Beleza, cosméticos e perfumarias: 2 pontos
Lojas de rua: 1 pontos
Transporte público: 1.50€
Café Latte do Starbucks: Não há em Itália

 


14. Amesterdão

Amesterdão@pixabay

 

Compras de Luxo: 1 pontos
Grandes cadeias: 3 pontos
Beleza, cosméticos e perfumarias: 2 pontos
Lojas de rua: 3 pontos
Transporte público: 2.90€
Café Latte do Starbucks: 3.65€

 


15. Roma

Roma@pixabay

 

Compras de Luxo: 2 pontos
Grandes cadeias: 3 pontos
Beleza, cosméticos e perfumarias: 2 pontos
Lojas de rua: 2 pontos
Transporte público: 1.50€
Café Latte do Starbucks: Não há em Itália

 


16. Singapura

Singapura@pixabay

 

Compras de Luxo: 2 pontos
Grandes cadeias: 2 pontos
Beleza, cosméticos e perfumarias: 4 pontos
Lojas de rua: 1 pontos
Transporte público: 0.49€
Café Latte do Starbucks: 2.16€

 


17. Lisboa

Lisboa@pixabay

 

Compras de Luxo: 2 pontos
Grandes cadeias: 3 pontos
Beleza, cosméticos e perfumarias: 3 pontos
Lojas de rua: 1 pontos
Transporte público: 1.40€
Café Latte do Starbucks: 3.05€

 


18. Dubai

Dubai@pixabay

 

Compras de Luxo: 2 pontos
Grandes cadeias: 2 pontos
Beleza, cosméticos e perfumarias: 3 pontos
Lojas de rua: 1 pontos
Transporte público: 0.97€
Café Latte do Starbucks: 4.13€

 


19. Estocolmo

Estocolmo@pixabay

 

Compras de Luxo: 1 pontos
Grandes cadeias: 2 pontos
Beleza, cosméticos e perfumarias: 2 pontos
Lojas de rua: 3 pontos
Transporte público: 3.86€
Café Latte do Starbucks: 4.99€

 


20. São Paulo

São Paulo@pixabay

 

Compras de Luxo: 1 pontos
Grandes cadeias: 2 pontos
Beleza, cosméticos e perfumarias: 2 pontos
Lojas de rua: 2 pontos
Transporte público: 0.79€
Café Latte do Starbucks: 1.77€

32 horas em Paris? Tudo o que tem de fazer para viver ao máximo!

Paris @pixabay

 

Têm um fim de semana livre e querem fazer uma 'escapadinha' com a namorada/o ou família para conhecer a capital francesa? Para alguns, fim de semana significa descanso, mas que tal gastar o vosso tempo numa viagem relâmpago a um dos destinos mais fabulosos da Europa, que fica apenas a duas horas de distância de avião?

 

Venha connosco e explicamos tudo o que tem de fazer, desde a escolha de aeroportos até ao que tem de comer e visitar para ter a sensação de que fez parte de um filme como 'O fabuloso destino de Amélie'.

 

Dica: Escolha um dos aeroportos mais próximos de Paris (Orly ou Charle de Gaulle), assim encurta o tempo que irá gastar na deslocação até à cidade. O meio de transporte mais rápido é o comboio (10€), que vos deixa mesmo no centro da cidade em 40 minutos aproximadamente. Caso sejam uma família numerosa (4 ou 5) ponderem a escolha de um aluguer de carro, uma vez que um bilhete de transporte público, a multiplicar por cinco, pode ficar mais caro. [nota: alugamos um carro por 35€ para dois dias na Keddy, com levantamento em Charles de Gaulle].

 

Partindo do principio que chegaram a Paris pouco antes da hora do almoço, o ideal será arrumar as malas no alojamento escolhido para ficarem com as mãos livres para começar a vossa viagem por Paris.

 

Dica: Escolham um alojamento central durante a vossa estadia. Irão ficar apenas uma noite por isso aconselhamos que gastem mais um pouco em benefício das horas que vão ganhar em deslocações de metro do centro da cidade para o alojamento. Paris é uma cidade cara, principalmente nos bairros centrais, por isso espreitem o Airbnb. [nota: conseguimos ficar alojados num apartamento no 9. Arrondissement (Bairro), por 177€, com espaço para cinco pessoas]. Escolham um alojamento localizado nos Bairros de 1 a 9, os mais próximos das atrações turísticas.

 

É hora do almoço e queremos comer algo rápido para começar. Comer bem faz parte dos costumes franceses, por isso recomendamos um restaurante da cadeia Big Fernand. Podem encontrar um nestes locais: Montparnasse, Saint-Sauveur, Galeries Lafayette, Poissonnière ou Saint-Honoré. O preço médio do menu é de 16€. Os hambúrgueres são deliciosos, não desiludem e têm aquele saborzinho francês, como é o caso da sanduíche 'Le Victor', com recheio de queijo azul.

 

Torre Eiffel @pixabay

 

Já de barriga cheia, dirijam-se até símbolo máximo de Paris, a dama de ferro mais conhecida do mundo, a Torre Eiffel. Independentemente do sitio onde tenham almoçado, optem por um passeio a pé para lá chegar, desfrutando das vistas, do rio Sena, da arquitetura parisiense, da música de rua... Depois dos atentados de 13 de novembro de 2015, a segurança apertou ao máximo na capital, sendo agora mais difícil circular pelas imediações da Torre Eiffel. Se estão pela primeira vez em Paris não vão querer deixar de estar com a cidade a vossos pés, por isso tenham paciência com as filas para entrar.

 

Já cá em baixo, andem mais uns metros em direção a Trocadéro para captarem o momento com uma 'selfie', acompanhados da Torre Eiffel. Pelo caminho podem lambuzar-se com um crepe de chocolate.

 

Caminhem durante uns 20 minutos até ao Arco do Triunfo, outro dos pontos altos da cidade. Aqui podem subir e apreciar novamente as vistas, mas uma vez que já o fizeram na Torre Eiffel não vale a pena repetir a experiência. Caso não tenham tido paciência no ponto anterior, subir aqui é uma boa opção. Depois desçam os Campos Elísios e observem as lojas de 'griffe' à vossa volta.

 

Sacre Coeur@pixabay

 

Já com o sol a ir embora, entrem no metro e dirijam-se à Basílica Sacré Coeur. Saiam na estação Anvers e subam até outro dos pontos altos desta viagem. Relaxem um pouco na escadaria, desfrutem das vistas e entrem numa das igrejas mais bonitas de Paris. Já com a noite como pano de fundo, percam-se nas ruas de Montmartre, o bairro mais pitoresco de Paris, com os seus típicos restaurantes e os pintores. Aqui fica o famoso Café des Deux Moulins do filme 'O Fabuloso Destino de Amélie'. Se querem preços mais em conta, podem jantar nesta zona, que é uma boa opção para sentir o espírito parisiense.

 

Montmartre @pixabay

 

Dica: O restaurante Le Ceni's, em Montmartre, é uma boa opção para quem não quer gastar muito dinheiro. O preço do menu é de 16€, mas os pedidos têm de ser feitos até às 21 horas.

 

Kong (Paris)@kong

 

Caso contrário, e se estão no espírito de viver ao máximo a vossa noite em Paris, temos outra opção, mais sofisticada e mais divertida. Trata-se de um dos melhores restaurante da cidade e chama-se Kong. Contudo, temos de alertar aqui para algumas coisas: É necessário fazer reserva alguns dias antes e não se esqueçam de pedir mesa na sala com vista panorâmica; o preço médio do jantar é de 70€ por pessoa; uma ida ao Kong só fica completa com uma visita ao bar, que fica apenas a umas escadas abaixo. Perante este cenário, e porque vamos ter de acordar cedo no dia seguinte, meçam bem o vosso nível de cansaço. Se querem sair de Paris com a sensação de conhecer a noite parisiense, com gente bonita e sofisticada, este é o vosso local, mas é preciso estar com espírito adequado, caso contrário não irá valer a pena.

 

No dia seguinte há que acordar bem cedo e tomar um pequeno almoço requintado. Antes de recarregar as baterias, passem pela Ópera de Paris. Quanto ao pequeno almoço, aconselhámos uma visita à Angelina, na Rua Rivoli, e escolham um típico menu parisiense (20€), composto por um chocolate quente, um sumo, pão, compotas, manteiga e pequenos folhados doces. Venham cedo para evitar filas e assim desfrutar tranquilamente desta casa que abriu em 1903. Espreitem também as vitrines para ver o que é, afinal, a 'pâtisserie' francesa. 

 

Museu Louvre @pixabay

 

Caminhem agora pelos Jardins das Tulherias até ao Museu Louvre. Aqui irão encontrar uma grande fila, não fosse este o museu mais visitado do mundo, por isso tentem ir o mais cedo possível. Como irão despender apenas uma manhã, terão de fazer as vossas escolhas nas alas a visitar. Aconselhamos as pinturas francesas e italianas (para ver o tão famoso quadro pintado por Leonardo Da Vinci, a Mona Lisa), e o piso do antigo egípcio, para observar os sarcófagos e as múmias. Não fiquem tristes por não conhecer tudo de uma só vez, porque, mesmo assim, não daria para ver tudo num só dia, por isso deixem para outra altura, numa segunda visita a Paris. O próprio edifício do Louvre é por si só uma obra de arte, entrar já é suficiente para ter um vislumbre deste magnifico espaço. Não deixem de tirar fotografias na pirâmide de vidro que fica no exterior, à entrada do museu.

 

Dica: No primeiro domingo de cada mês a entrada no Museu Louvre é gratuita, mas isso significa também uma fila maior.

 

É novamente hora de almoço e aqui têm duas opções de lugar e uma apenas de refeição: Façam um piquenique nos Jardins das Tulherias e façam a digestão à volta da Praça da Concórdia. Podem ainda ir almoçar aos Jardins de Luxemburgo, mas tomem nota que fica a meia hora de distância a pé e ainda há um ponto importante a visitar.

 

Macarons @pixabay

 

Dica: Encontrem uma das 'maisons' do Pierre Marcolini para comer os melhores macarons de Paris.

 

A nossa estadia em Paris está a terminar, mas a visita não ficaria completa sem uma visita à Catedral de Notre Damme (podem chegar lá a pé ou de metro, vejam a melhor opção consoante o tempo que vos resta). A entrada (gratuita) faz-se de uma forma ordeira e rápida.

 

Catedral Notre Dame @pixabay 

 

É hora de ir buscar as malas e voltar ao aeroporto, dando assim como terminada a nossa viagem de 32 horas por Paris, de coração apertado por ter sido tão curto. Mas encarem isto como um aperitivo e não deixem de voltar, com mais tempo, a esta bela capital francesa.

As melhores cidades para os amantes de literatura

São viciados em livros? Consomem uns atrás dos outros? Então apresentamos oito cidades que inspiraram alguns dos melhores romances e escritores de todos os tempos. Temos ainda umas dicas para seguirem os trilhos nestas cidades que continuam a ser um paraíso para os amantes de livros.

 

Vamos começar a virar as páginas?

 

1. São Petersburgo

Peterhof, em São Petersburgo

 

Na literatura, o centro cultural da Rússia é um lugar de contrastes. Guerra e Paz (1869), de Tolstoi, Crime e Castigo (1866), de Dostoievski, são algumas das obras russas que marcaram a diferença no olhar para a sociedade russa, principalmente para São Petersburgo, fazendo dela a cidade mais literária do país.

 

Em São Petersburgo, existe uma data para honrar Dostoievski. Realizada no primeiro sábado do mês de julho, os fãs reúnem-se para celebrar o seu herói.

 

Dica: Visite o canto do Stolyarny Alley e  a Rua Kaznacheisky, onde o escritor viveu durante a elaboração de sua obra-prima.

 

2. Paris

Paris, França

 

Enquanto vivia em Paris e escrevia Ulysses (1922), James Joyce desabafava o seu amor pela capital francesa: "Há uma atmosfera de esforço espiritual aqui", contou ele ao amigo pintor britânico Frank Bugden.

 

O Corcunda de Notre Dame (1831) e Os Miseráveis ​​(1862), de Victor Hugo, retratam as diferenças entre a nobreza francesa e os pobres. Romances como o Trópico de Caranguejo (1934), de Henry Miller, e Paris é uma festa (a título póstumo, 1964), de Ernest Hemingway, mostraram aos leitores a vida nómada dos escritores americanos que passaram por Paris no início do século XX.

 

Dicas: Enquanto vivia em Paris na década de 1920, Hemingway passava os inícios das manhãs em La Closerie des Lilas (171 Boulevard du Montparnasse), a escrever muitas das suas primeiras obras, incluindo o O Sol Nasce Sempre (1926). O café ficava apenas a uma rua de distância do seu apartamento, na 113 Rue Notre-Dame des Champs, um dos locais favoritos para o jovem escritor americano ler o trabalho dos seus amigos, como o manuscrito de F. Scott Fitzgerald de Gatsby (1925).

 

3. Londres

Londres, Inglaterra

 

Ao longo da história, alguns dos escritores mais famosos do mundo têm caracterizado Londres como sendo uma personagem principal e é por isso que conhecemos tão bem a cidade.

 

Londres são as crianças de rua de Charles Dickens, os reis trágicos de Shakespeare (Richards II e III, Henry V e VIII), e a alta sociedade de Thackeray em Feira das Vaidades (1847). É ainda a cidade de Mary Poppins, Sherlock Holmes e Harry Potter.

 

Dicas: Passem pela Rua 34 (anteriormente 16) de Tite para prestar homenagem a Oscar Wilde e à sua esposa Constance, que se mudaram para o Bairro em 1884. É onde Wilde escreveu algumas das suas obras mais famosas, incluindo o Retrato de Dorian Gray (1891).

 

4. Reiquiavique

Islândia

 

Há um estudo que refere que um em cada dez islandeses irá publicar um livro ao longo de sua vida. Isso faz com que este país seja o maior gerador de escritores no mundo. Se considerarmos que a Islândia tem 300.000 habitantes na capital (Reiquejavique), temos a ideia de que a cidade terá 30.000 autores, com todos os livros a serem publicados em islandês, em defesa da língua.

 

Valter Hugo Mãe foi um dos escritores que se deixou apaixonar pelo encanto deste pequeno país ao escrever a Desumanização (2013). Certamente que George R.R. Martin's inspirou-se na Islândia para escrever a saga A song of ice and fire (1996-), uma vez que esta é a terra do gelo e dos vulcões. Halldór Laxness é o único escritor islandês galardoado com um prémio Nobel da literatura (1955) e, anos antes, escreveu A estação Atómica (1948), retratando os contrastes islandeses, entre a vida moderna e a rural.

 

Dicas: A Islândia é o país dos elementos naturais, por isso nada melhor que percorrer as estradas deste país em estilo aventureiro para redescobrir a nossa paixão pela natureza.

 

5. Pamplona 

San Fermin, Pamplona

 

Ernest Hemingway escreveu o seu romance O Sol Nasce Sempre (1926), baseado em eventos reais da sua própria vida. A primeira vez que ouviu falar de Pamplona foi por acaso, quando era jornalista correspondente em Paris e decidiu fazer uma história sobre esta pequena cidade espanhola de apenas trinta mil habitantes.

 

Ele queria escrever uma história sobre o estranho hábito de “soltar os touros" para depois fugir deles pelas ruas. Hemingway, de apenas 24 anos, ficou tão fascinado por este espetáculo que regressou a Pamplona mais oito vezes. A pequena cidade espanhola representava, para ele, o que amava: a diversão, boa vida, álcool, mulheres, touros e amigos.

 

Dicas: Na Plaza del Castillo, Ernest Hemingway alternava entre as esplanadas do Txoko e Café Iruña, ambos ainda em funcionamento, assim como o Torino Coffee Bar, Café Kutz e Swiss Café. Visitem também Gran Hotel La Perla, onde permaneceu alojado.

 

6. Tóquio 

Tóquio, Japão

 

Haruki Murakami é considerado o maior embaixador da nova corrente literária japonesa,, nomeadamente com os seus romances After Dark (2004) e Norwegian Wood (2010). Mas é com a trilogoia 1Q84 (2009) que o autor realmente se conecta a Tóquio, passando do antigo para o moderno. O escritor oriental consegue levantar o pano sobre o Japão colorido e barulhente, revelando o que se esconde em cada casa e em cada pensamento dos japoneses.

 

Dicas: Visitem o Nakamuraya Cafe (3-26-13 Shinjuku, Shinjuku) e o Hotel Okura (2-10-4 Toranomon, Minato) para conhecer alguns lugares-chave da obra de Murakami. Existe também o Cafe Rokujigen (1-10-3 Kamiogi, Suginami), onde os fãs do escritor se juntam regularmente para ler e discutir a sua obra.

 

 7. Roma

Forum Trajano, Roma

 

Graças à literatura inglesa, Roma ganhou destaque com os seus romances baseados no drama e traição. Titus Andronicus (1594) e Júlio César (1623), ambos de Shakespeare, retratam os jogos de poder na cidade antiga, enquanto Ben-Hur (1880), de Lew Wallace, visita a Roma do início do cristianismo, com meticulosas descrições. I Claudius (1934), de Robert Graves, oferece uma história romana "narrada” por um dos seus imperadores.

 

Dicas: Se quer reviver a Roma Antiga, visite o Antico Caffè Greco (Via dei Condotti, 86). Inaugurado em 1760, as mesas de mármore do café têm recebido clientes notáveis como John Keats, Charles Dickens, Hans Christian Andersen, Mary Shelley e Lord Byron.

 

8. Lisboa

Alfama, Lisboa @pixabay

 

Lisboa é a cidade de Fernando Pessoa e a capital portuguesa transpira os versos do maior poeta português. A cidade conta ainda com o Monumento dos Descobrimentos, que nos remete para os textos de Luís de Camões. Lisboa serve ainda de cenário para Os Maias, de Eça de Queirós (1888), um dos maiores romances alguma vez escritos. Queirós "leva-nos" até ao Ramalhete, uma casa afastada do centro, na altura, num local elevado da cidade. Hoje, no lugar do Ramalhete encontra-se o Museu Nacional de Arte Antiga.

 

Lisboa acolhe ainda a Fundação José Saramago, na Casa dos Bicos, onde funciona a biblioteca do escritor de O Memorial do Convento, assim como uma exposição permanente sobre a vida e obra do único prémio Nobel da literatura portuguesa.

 

Dicas: Algumas das lojas citadas n' Os Maias ainda existem, como a Casa Havaneza, no Chiado, por exemplo. Passear em Lisboa é seguir os trilhos de Carlos ou de Ega. Podem ainda tomar um café ao lado da estátua de Fernando Pessoa, no café A Brasileira. Caminhe ainda até ao Monumento dos Descobrimentos para ver Luis Vaz de Camões e os heróis de Os Lusíadas.

 

Cinco cidades para uma viagem em grande com as amigas

Andam à procura da cidade perfeita para uma viagem com as vossas amigas e com tudo a que têm direito? Pois bem, o Volto JÁ reuniu uma lista de cinco cidades indicadas para uma viagem só de mulheres. Ao contrário da lista feita para os amigos, alargamos um pouco as expetativas geográficas e escolhemos uma cidade fora do continente europeu. Diversão, homens bonitos, compras e 'chic' q.b. são os ingredientes para esta lista. Vamos começar?

 

 

Paris

Macarons em Paris

É inevitável certo? O pináculo da essência feminina! A bela capital francesa reúne todos os requisitos para uma viagem com as amigas, diríamos até que é a 'perfeita' desta lista. A própria cidade está camuflada com um ambiente propício para as mulheres, por isso, não há como falhar. Dizem que é a cidade do amor, mas acima de tudo, é um regalo para os olhos das mulheres. É um 'must go' para todas as mulheres, reunindo os ingredientes necessários: a gastronomia, o glamour, a pastelaria, os restaurantes, os bares, a alta costura...

 

 

Roma

Fontana di Trevi, Roma

É a única cidade a surgir nas duas listas, homens e mulheres, mas aqui surge por razões (muito) diferentes. A bela Fontana di Trevi é o local perfeito para as mulheres ficarem a comer um 'gelato' e apreciar a arquitetura italiana, mas as mulheres também vão querer espreitar os homens romanos. Em algum momento da vida, elas precisam de se juntar e ficar a olhar para uns homens bem-feitos e elegantes. Se estão com este espírito, este é o vosso destino. E se estiverem fardados com o fato polícia, melhor ainda...

 

 

Milão

Galeria em Milão

A segunda cidade italiana desta lista. Escolhemos Milão por ser uma das quatro capitais do mundo da moda e por ficar aqui tão perto. Se querem conhecer o ponto mais alto das compras italianas visitem a Galeria Vittorio Emanuele II, bem no centro. Como é linda e imponente, é perfeita para umas selfies com as nossas melhores amigas. Se tiverem poupado uns bons trocos antes da viagem, podem perder a cabeça e trazer para casa aquele vestido lindo de 'alta-costura'. Além disso, é nesta cidade que irão encontrar os restaurantes e bares mais sofisticados de toda a Itália.

 

 

Nova Iorque

Central Park, Nova Iorque

Tal como dissemos no início, é a cidade mais distante de Portugal e não dá para a visitar num fim de semana, é necessário pelo menos uma semana. Mas se há cidade que conquista as mulheres pelas compras é Nova Iorque. Meninas, juntem-se e visitem as mega lojas da Victoria Secret espalhadas pela cidade e sintam-se umas verdadeiras 'angels'. Quem gosta de 'Sex And the City' pode visitar a Magnolia Bakery de Greenwich Village para comer um cupcake ou jantar no Sushi Samba tal qual uma Carrie Bradshaw e companhia. As mais sonhadoras podem andar mais uns metros, até à Perry Street, e tirar uma selfie, todas juntas, nas escadinhas do nº 66.

 

 

Madrid

Madrid, Espanha

É a cidade mais festeira desta lista, é perfeita para aquele grupo de amigas que quer uma viagem curta, intensa e de muita animação pelas 'calles' de Madrid. Preparem-se para conhecer a verdadeira noite espanhola. Para isso, basta circular pelas ruas do centro e entrarem nos muito bares que têm à vossa disposição. Não é por acaso que Madrid é a nova 'meca' das despedidas de solteira. Se acordarem muito cansadas, ainda podem relaxar no Parque do Retiro.

Oito restaurantes pelo mundo que tem de conhecer para ficar mais feliz

Quem não gosta de desfrutar de uma boa refeição quando se encontra de férias? Por vezes, as recomendações não vão ao encontro daquilo que pretendemos e nem sempre correm bem.

 

Para facilitar as vossas viagens, escolhemos oito restaurantes pelo mundo com o selo de presença e qualidade do Volto JÁ. Temos a certeza que não irão desiludir os amantes da boa comida, tal como nós.

 

Kong (Paris)

Kong (Paris) 

É daqueles restaurantes que serve de aquecimento para uma grande noite. O Kong fica situado bem no centro de Paris e com umas vistas fantásticas para o Rio Sena. É jovem, divertido, descontraído e com gente bonita. Depois do jantar podem perder a cabeça no bar com o mesmo nome, que fica umas escadas abaixo deste magnifico espaço. Peçam sempre um lugar perto da janela e desfrutem da magia das luzes de Paris na primeira fila.

 

Le Bistrot d' Aurelie (Bordéus)Le Bistrot d' Aurelie (Bordéus)

Continuamos em França e este é um restaurante mais discreto, situado no centro de Bordéus, acolhedor e sossegado, perfeito para um jantar descontraído. Tudo é delicioso no menu, assim como as opções de vinhos. O espaço pode não parecer sofisticado como o menu, mas acreditem que é um tiro certeiro durante um passeio nesta 'deliciosa' cidade francesa.

 

L' Avenue (Paris)

 L' Avenue (Paris)

Voltamos à capital francesa e este é daqueles restaurantes que queremos visitar para nos sentirmos bem. Um dos espaços mais bem frequentados de Paris e onde toda a gente quer ver e ser vista. Desfrutem de uma refeição durante o almoço, na esplanada se possível, e peçam um cocktail enquanto comem, por exemplo, uma lagosta, uma escolha certeira.

 

Shangri-La (Sidney)

Shangri-La (Sydney)

Vamos ser sinceros, vale mais pela vista e experiência do que pela comida. Atenção, a comida é ótima e o staff muito atencioso, mas com aquelas vistas fica difícil dar atenção a outras coisas. Fica estrategicamente no topo de um dos prédios mais altos de Sidney, com vistas para a Casa da Ópera. Antes do jantar, relaxem no bar situado mesmo ao lado.

 

Fig&Olive (Nova Iorque)

Fig&Olive (Nova Iorque)

Uma das grandes surpresas em Nova Iorque. Quando pensávamos que já não havia mais nada de surpreendente nesta cidade americana, deparamo-nos com um dos restaurantes mais fascinantes que já visitamos. Tem um ótimo balcão para se tomar um 'drink' antes do jantar e há um 'DJ' para animar a vossa refeição.

 

 Fish Bank (Tóquio)

Fish Bank (Tóquio)

As ruas de Tóquio podem ser cansativas, com muito ruído dos jogos arcade e luzes fluorescentes. Por isso é que existe o Fish Bank, indicado para uma romântica pausa a dois. No 41.º andar de um edifício na zona mais executiva da cidade, este restaurante oferece-nos aqueles parênteses que precisamos depois de uns bons passeios pela cidade. Não deixem de experimentar também o bar. Os funcionários são muito atenciosos, não tivessem eles herdado o civismo tão típico do Japão.

 

Sushi Leblon (Rio de Janeiro)Sushi Leblon (Rio de Janeiro)

Não poderia faltar um restaurante de sushi nesta lista e optámos por aquele que reúne vários pontos positivos. Ambiente descontraído, mas elegante ao mesmo tempo, e peixe de excelente qualidade. Mas os combinados são os reis do carnaval deste Sushi Leblon. Uma autêntica experiência degustativa. Não deixem de experimentar o combinado com ovo de codorniz.

 

Medusa (Viena)

Medusa (Viena)

Fechámos esta lista com a nossa melhor experiência gastronómica pelo mundo. O Medusa, em Viena, é 'o perfeito' desta lista. Decoração bonita e sofisticada, comida ao mais alto nível, ambiente jovem e elegante e aquela música 'eletrónica-ambiente' que tanto gostámos enquanto desfrutamos da nossa refeição. O staff do Medusa sabe aconselhar os clientes e acertaram em tudo com as suas recomendações. No bar, no piso de cima, irão encontrar um bartender que vos aconselhará o melhor cocktail para terminar a noite. Se querem ter uma noite ainda melhor, antes de entrar no Medusa, vistam os vossos melhores fatos e vejam uma peça na Casa de Ópera.

7 Razões para amar Paris

Paris, capital francesa

 

Sara Covas

 

« Le coeur de Paris, c’est une fleur. Une fleur d’amour si jolie que l’on garde dans son coeur, que l’on aime pour la vie.»

 

Paris é uma história de amor sem fim. É uma cidade que arrebata, que nos transporta para um passado e, ao mesmo tempo, nos faz sonhar com um futuro melhor. A cidade da luz nunca se esgota. Em Paris, uma pessoa sozinha nunca está só.

 

Espero que aqueles que visitaram, se revejam nestas minhas vivências, e os que ainda não tiveram a oportunidade de conhecer se sintam impelidos a fazer as malas e partir. Afinal, é isso que o Volto Já deseja... Que viajemos e sejamos muito felizes.

 

 

1. A Luz de Paris.

Goste-se mais ou menos desta cidade, há algo que não pode ser negado: Paris é luz. Passear à noite em Paris é uma das mais belas recordações que ela nos deixa. As fachadas, os museus, as pontes, a Torre Eiffel... Por muito cliché que pareça, há um sentimento de histerismo que não consigo reprimir sempre que vejo a Dama de Ferro iluminada. É-me impossível controlá-lo, parece que a vejo sempre pela primeira vez e até bato palmas quando as luzes piscam. E ainda bem que assim é! De repente, percebemos a razão pela qual tantos e tantos escritores, músicos e artistas viveram em e para Paris.

 

2. As esplanadas de Paris.

Há algo de muito único nestas esplanadas e que transparece a cultura de "savoir-vivre" dos franceses. Gosto de passear nas ruas de Paris e ver as esplanadas sempre cheias de gente em convivio ou até sozinhas, mas na companhia de um livro, a beber um café ou um copo de vinho. Em Paris, sê parisiense! Procuro uma esplanada mais afastada das ruas mais turísticas e observo as pessoas nas suas rotinas, no seu dia-a-dia descontraido. É bonito.

 

3. O Museu de Rodin.

Já visitei este museu três vezes, e recomendo-o sempre a toda a gente que visita Paris. Geralmente, não há fila de espera, nem confusão, e vale tanto a pena... No Museu de Rodin, é prestada uma verdadeira homenagem ao mais famoso escultor francês, e nele podemos passear e observar as esculturas que os jardins escondem, relaxar ou ler um livro, num silêncio tão calmo que nos esquecemos que estamos numa das maiores cidades da Europa. Uma das coisas que mais gosto de fazer em Paris, é sentar-me no banco que rodeia o pequeno lago dos jardins, ao mesmo tempo que, lá ao fundo, espreita a Torre Eiffel e os Invalides. Isto não tem preço.

 

4. Os Jardins de Paris.

Quem nunca se imaginou a fazer um piquenique, num jardim em Paris? Comer e relaxar num dos jardins da cidade, é sempre uma boa ideia. As opções são muitas, sendo que para mim os Jardins de Luxembourg são os mais convidativos. São bastante mais calmos que os Jardins de Tuilleries e são uma pequena amostra dos magnificos Jardins do Palácio de Versailles, sendo especialmente atrativos para aqueles que não têm tempo de fazer o desvio para conhecer o último. Agarro uma baguete e uma garrafa de vinho ou compro um éclair da famosa loja Éclair de Génie, das imediações dos Jardins de Luxembourg, e degusto cada pedaço desta pequena maravilha, num dia em que o sol espreita. É maravilhoso.

 

5. A Gastronomia Francesa.

Tal como a nossa magnifica gastronomia portuguesa, a comida francesa, prima pela diversidade e qualidade. Raras foram as vezes que comi mal em Paris. Gosto dos bistrôs que mantêm a sua decoração original e servem os pratos típicos. Gosto dos espaços mais cosmopolitas e jovens, gosto das brasseries, sou fanática da pastelaria francesa. Paris é cosmopolita e ao mesmo tempo consegue trasportar-nos a um passado. Na minha lista de favoritos constam os pratos de carne e soufflés do Le Bistrot Paul Bert, as iguarias da Loja Fauchon, com destaque para o Foie Gras de champanhe e frutos do bosque e o folhado de salmão, o chocolate quente da famosa pastelaria Angelina e os macarrons da Ladurée.

 

6. Paris sem roteiros...

Caminhar pelas ruas de Paris, nas margens do Sena, atravessar as suas pontes, descobrir galerias, sem pressas e sem destino, é uma das coisas que me enchem a alma. Não gosto de seguir um plano, com paragens obrigatórias. Paris é uma cidade que tem muito por descobrir e, na verdade, os verdadeiros tesouros da cidades, estão muitas vezes fora dos guias turísticos. Com esta recomendação, creio que é possível não só conhecer melhor a cidade, como também os parisienses.

 

7.Paris Medieval.

Muito embora me fascinem as fachadas de estilo Haussman, que podemos encontrar nas grandes avenidas de Paris, na minha opinião, merece destaque a arquitetura medieval que ainda se mantem em alguns bairros. Observar a imponência da Conciergerie, antiga prisão da cidade, a beleza da catedral de Notre Dame e da Igreja de Sainte-Chapelle, e fazer uma caminhada a partir da Rue des Barres, em direcção ao Bairro do Marais, onde encontramos ainda edificios do séc XV, é percorrer um caminho pela história da cidade, num pesente muito vivo.

 

Sei bem que nem toda a gente ama Paris, sei que não é perfeita, que não é exímia na arte de bem receber e talvez precise de uma injecção de hospitalidade portuguesa, mas quem gosta volta, e é por isso que volto sempre a Paris. Volto com quem amo, à cidade do amor.

O João e a Ana casaram e também eles voltarão a Paris. Estou certa que trarão consigo memórias eternas, da eterna cidade do amor. A amizade é um amor que nunca acaba e eu desejo que sejam muito felizes, que voltem já, pois connosco ficam sempre.

 

Texto escrito por Sara Covas

'Europa low cost' para todos os gostos

Europa

 

A nossa geração pode estar a ser fustigada pelo desequilíbrio económico, o que nos impede de crescer mais rápido e melhor, mas há algo que ninguém nos pode tirar. Nunca foi tão fácil e económico viajar pela Europa e tudo graças às companhias áreas low cost. Escusado será dizer que o nascimento destas companhias surgiu justamente para acompanhar o ritmo (descendente) do nosso poder de compra.

 

Mas como isto não é um blog de economia, e sim de viagens, hoje trazemos até vós um ranking de cidades europeias que todas as pessoas têm de visitar antes de morrer. Sempre quisemos usar este título num post, mas ainda não vai ser desta.

 

Sabemos que há pessoas que têm medo de voar ou até mesmo desinteressados em conhecer novos sítios (esta não conseguimos perceber mas pronto, somos tolerantes), mas a Europa é rica em destinos fabulosos e, caso não se revejam nos pontos acima referidos, não há desculpas para não as conhecer.

 

Como sabem, somos um casal e decidimos fazer este ranking de forma muito democrática e ao estilo ‘Eurovisão’. Pegámos em dez destinos europeus já visitados e demos pontuação de 1 a 8 e depois 10 e 12. Somámos e deu o ranking que iremos apresentar já a seguir.

 

A pontuação tem critérios, como gastronomia, hospitalidade, pontos culturais etc. Existe, claro, um lado pessoal, como em tudo o que escrevemos, mas queremos passar uma mensagem parcial, de forma a abranger o público mais comum. O objetivo é dar aquele empurrão que falta para pegar num computador e comprar um bilhete de avião em regime low cost para terem high sensations.

 

Nota: Pesquisámos viagens de avião com partidas de Porto e Lisboa nas companhias Ryanair e Easyjet.

 

 

Valência (2 pontos)

Valência, Cidade das Artes e Ciências

 

Valência é a cidade ideal para uma escapadela de fim de semana, para relaxar e deixar-se levar pela "fiesta" tão típica do povo espanhol. Não precisa de grandes pressas nem planos de horários muito apertados, pois o que vale a pena nesta cidade é perder-se pelas ruazinhas do centro, dar um mergulho no Mediterrâneo, provar a famosa paella valenciana e "regar" tudo isto com um bom copo de sangria.

 

A Cidades das Artes e Ciências é um local obrigatório. 

 

 

Amesterdão (5 pontos)

Amesterdão

 

Sabemos que há muitos fãs da capital holandesa e nós conseguimos entender o porquê. Todos os nossos pecados são permitidos em Amesterdão e entendemos que é um bom cartão de visita para os turistas. O Museu de Anne Frank, o Museu da Heineken e o Museu de Van Gogh são obrigatórios, assim como a Red Light District para os mais ousados. Se visitarem esta cidade holandesa façam todo o percurso de bicicleta e almocem no Voldelpark.

 

Então de que não gostamos? Os excessos da cidade e a contínua repetição da estrutura dos edifícios.

 

 

Madrid (6 pontos)

Praça Cibeles, Madrid

 

De todas as cidades desta lista, Madrid é aquela que, digamos, cumpre as normas do "politicamente correto". Tudo muito bem arranjado, centro lindíssimo, muita 'movida' pela 'noche', bons museus (Prado e Rainha Sofia), o Bernabéu, a Plaza Mayor, o Mercado de São Miguel... A capital espanhola destaca-se ainda pelo seu piso regular, perfeito para quem não se quer cansar com muitas subidas e descidas.

 

Não somos amantes da comida espanhola e da perfeição de Madrid, mas esta cidade espanhola é ideal para quem quer sentir, ou descobrir, o que é realmente uma cidade cosmopolita e movimentada. É ideal para estreias nestas andanças de low cost, sem esquecer que conta também com os preços mais baixos de avião.

 

 

Nice (9 pontos)

Promenade des Anglais, Nice

 

Nice cativa pela vida da cidade, onde há sempre gente na rua, nos parques e nas esplanadas. A toda a hora convida-nos a sentar numa esplanada na belíssima praça Massena, ou apenas a desfrutar de um picnic num dos jardins da imensa Promenade du Paillon. Isto, claro, sem esquecer, o ponto mais icónico de Nice, a Promenade des Anglais, um passeio à beira-mar que se estende ao longo de toda cidade, com o belo forte numa das pontas a contemplar a cidade e o Hotel Negresco, um dos mais antigos da cidade, a conferir uma aura de charme a quem se passeia por aqui.

 

Não se esqueçam de dar um mergulho no mar de Nice. Boa temperatura e cor atraente.

 

 

Dublin (11 pontos)

Temple Bar, Dublin

 

Dublin é a cidade mais hospitaleira de todo este grupo, devendo grande parte da sua pontuação ao ambiente tão "friendly" da cidade. Associado a isso, existe uma grande variedade de atrações históricas, bem como uma cultura literária muito marcada na cidade, com nomes como Oscar Wilde e James Joyce a serem lembrados em cada rua ou café.

 

Animação noturna também não falta, bem ao estilo irlandês com pubs povoados de gente de todas as idades, unidos pelos cartões de visita da Irlanda: a cerveja e o whisky.

 

Vão e desfrutem da sensação de ser recebidos como se chegassem à casa de amigos.

 

 

Bordéus (12 pontos)

Palácio da Bolsa, Bordéus

 

Não queremos enganar ninguém. Bordéus não é cidade para se ficar fascinado. É uma cidade com encantos escondidos. E quando falamos de encantos, falamos de comida e bebida. Podemos dizer que foi a cidade, em todo o mundo, onde comemos melhor, para já. A gastronomia é fabulosa e, como estamos na Meca dos vinhos, a bebida está em sintonia.

 

Bordéus é perfeita para um fim de semana curto e para os amantes dos bons vícios da vida.

 


Londres (13 pontos)

Londres

 

Londres é outra cidade imperdível para terem uma noção da riqueza cultural e arquitetónica da Europa. Perfeita para quem quer atividades ao ar livre, cultura e restaurantes conceituados.

 

Palácio de Buckingham, St Paul’s Cathedral, Hyde Park, London Eye, Tower Bridge, Palácio de Westminster, Museu de História Natural e, claro está, o Big Ben são oito pontos turisticos que não podem deixar de ver quando passarem pela capital inglesa.

 

Não deixem também de visitar as excelentes pastelarias de Notting Hill e de se perder pelos típicos bairros britânicos.

 

 

Barcelona (14 pontos)

Parc Guell, Barcelona

 

Barcelona é talvez a cidade mais completa deste ranking, com atrações turísticas que vão desde monumentos de renome mundial, a arquitectura (muito Gaudi) de referência, praias e pontos de vistas panorâmicas de tirar o fôlego. A juntar a tudo isto, oferece gastronomia e animação noturna para todos os gostos e bolsos, desde bares de tapas a restaurantes sofisticados, com noites a prolongarem-se pelos cafés típicos das Ramblas ou em terraços elegantes no topo de hotéis. 

 

Desfilar pelo Passeig de Gràcia, visitar La Sagrada Familia, comprar uns recuerdos nas Ramblas e fazer um picnic no Parc Guell são 'must-do' nesta cidade.

 

 

Roma (20 pontos)

Fontana di Trevi, Roma

 

Quem segue este blog sabe o quanto adoramos a Cidade Eterna. Roma é a cidade mais envolvente que existe no mundo. Perder-se nas ruas estreitas e amareladas, desfrutar dos Aperitivis, aprender como nasceu a civilização moderna, visitar o berço do cristianismo... Tudo isto é Roma. E há muito mais para além do referido, mas só marcando a viagem é que irão entender o que queremos transmitir.

 

Quanto a nós, já temos voo marcado, e voltaremos JÁ com um roteiro para vos ajudar a viver Roma em todo o seu esplendor.

 

 

Paris (24 pontos)

Paris

 

Paris é como o amor. Há que o sentir uma vez na vida para sabermos como é bom viver. Assim é a capital francesa. É daquelas cidades que ou se ama ou se detesta. Por cá, já perceberam que é a cidade obrigatória para quem ainda não conhece nenhum destes destinos. Imaginem Paris como a mulher/homem que todos desejam.

 

Paris tem excelente gastronomia, locais icónicos, o melhor museu do mundo, a pastelaria mais refinada, edifícios lindíssimos, história a cada esquina... É uma cidade cheia de ‘mais’, mais vontade de a conhecer.

 

Ainda por cima, é a cidade com acesso mais facilitado e variado. As duas companhias voam para lá e ainda podem encontrar preços muito atrativos nas companhias ditas regulares.

 

Voltamos JÁ