Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

volto já

para quem pertence a vários lugares

volto já

para quem pertence a vários lugares

Para quem quer apaixonar-se em (e por) Paris

Para quem quer apaixonar-se em (e por) Paris

 

Se querem um guia para encontrar os melhores museus, monumentos ou igrejas de Paris estão no lugar errado. Aqui vamos apresentar um roteiro de três dias e duas noites para casais apaixonados que querem aproveitar ao máximo um do outro, tendo a cidade francesa como pano de fundo.

Paris foi a última etapa da nossa lua de mel e a capital francesa nunca cansa, seja em que altura ou momento for.

Apresentamos os quatro pontos que achamos serem essenciais para uma visita intensa pelas ruas de Paris.

 

1- Alojamento

Por esta altura, e sempre, privilegiamos a localização, por isso escolhemos o Hotel Victoria Chatelet, no 1er arrondissement de Paris. Estamos numa das cidades com o alojamento mais caro do mundo, por isso os 150 euros por noite, sem pequeno almoço, é um preço em conta. Para os mais ousados, podem experimentar o Hotel Maison Souquet, no 9er arrondissement, perto de Moulin Rouge, isto para quem procura um ambiente mais intimista e romântico. Aqui ficam duas opções diferentes e ambas excelentes.

 

2- Passeios a pé

É assim que se conhece qualquer cidade e Paris não é exceção. Foram mais de 48 horas sem entrar num táxi ou metro. Claro que ficamos com os pés doridos, mas digam lá se aquela sensação, cansados, de entrar num banho relaxante e deitar logo de seguida, depois de um dia em grande, não é das melhores do mundo.

Os jardins de Luxemburgo (para um almoço-piquenique) e os Jardins das Tulherias são ótimos locais para se passear calmamente durante uma tarde. Quanto a caminhadas, têm de fazer o percurso do Museu do Louvre até à Torre Eiffel e, na volta, até Notre Damme e daqui até ao Bairro de St Germain. Não precisam de fazer tudo num dia, dividam-no em momentos diferentes da vossa viagem. Claro que uma foto em Trocadéro, com vistas para a 'Dama de Ferro', é imprescindível nesta viagem.

O passeio mais bonito que podem fazer é ao longo do Rio Sena, sendo obrigatório fazê-lo de dia e noite.

 

Passeio noturno pelo Rio Sena, em ParisCRÉDITOS: PIXABAY

 

3- Restaurantes

Já falamos dele várias vezes, mas a nossa experiência no Kong foi memorável. Não é o melhor restaurante de Paris, longe disso, mas o ambiente e a decoração fazem dele um dos melhores, pelo menos no nosso coração. É um Restaurante-Bar, com ambiente jovem e informal, ideal para um jantar elegante e um resto de noite muito animado.

L’ Avenue é um dos mais procurados pelos famosos, tendo ficado ainda mais conhecido depois do casal Kardashian-West ter passado por lá durante a Semana da Moda de Paris. Recomendamos um almoço em vez de jantar e na esplanada, como um verdadeiro parisiense.

 

Kong (Paris)CRÉDITOS: RESTAURANTE KONG

 

Atenção, façam reserva para ambos os restaurantes.

Se querem algo mais rápido, mas igualmente saboroso, procurem as cadeias de hambúrgueres Big Fernand. Não se vão arrepender.

 

4- Pastelarias

É a meca da pastelaria mundial. Ninguém faz pastelaria fina como os franceses e não quisemos deixar de visitar três das mais conhecidas, e com mérito, durante a nossa estadia. Têm de tomar um pequeno-almoço no Angelina da Rue de Rivoli, um lanche no Ladurée para provar os macarons mais famosos do mundo, assim como os L'éclair de Génie.

 

Angelina, ParisCRÉDITOS: WIKIMEDIA COMMONS

 

Para algo mais sofisticado e menos doce, visitem o bar do Pershing Hall, ideal para um café ou mesmo um cocktail, seja de dia ou de noite.

Lembramos que aqui queremos partilhar a nossa experiência em Paris, a dois, sem perdas de tempo em filas para museus e monumentos. Com isto, não queremos dizer para não os visitarem, muito pelo contrário, já que uma subida à Torre Eiffel ou uma visita ao Museu do Louvre tornam qualquer visita à capital francesa muito mais rica.

Como já fomos muitas vezes a Paris e contamos ir muitas mais, quisemos desfrutar um do outro na cidade do amor e, seguindo este guia, conseguimo-lo, com distinção.

Os melhores restaurantes do Minho

Chello's, Guimarães

O Minho é a região verde de Portugal, é a terra do bacalhau à minhota, das papas de sarrabulho, dos rojões, do cozido à portuguesa, do caldo verde e, para adoçar, conta ainda com o arroz doce, a aletria e os sonhos.

 

Como poupámos 60€ numa reserva de hotel

Pesquisa de Hotéis

 

Calma! Apesar da vontade ainda não conseguimos oferecer-vos vouchers de desconto para utilizarem no momento de reserva de um hotel. Esse dia há de chegar, mas para já vamos partilhar convosco como poupámos 60 euros numa reserva recente de um hotel.

 

Roma é a nossa cidade e por isso vamos voltar (pela terceira vez) no mês de novembro para celebrar o aniversário de um de nós. Com a viagem comprada - num daqueles impulsos, que só quem é viciado em viajar sabe o que é - chegou a altura de fazer a reserva do hotel. Para se situarem, a nossa estadia irá ser entre 27 e 30 de novembro e começámos a pesquisa em finais de julho.

 

Como se trata de um sítio que adoramos, optámos por ficar bem no centro da capital romana e a zona escolhida foi a Fontana di Trevi, que nessa altura já deverá estar a funcionar em pleno depois de um ano e meio em obras. Olhámos para as nossas hipóteses no Booking e encontrámos o local perfeito, a custar 100 euros por noite com pequeno almoço incluído.

 

Efetuámos a reserva como manda e aqui fica a primeira das dicas. Se estiverem na dúvida optem sempre com cancelamento gratuito e pague depois. Não é novidade para ninguém, mas o cancelamento gratuito serve para conseguirem anular essa mesma reserva sem custos, caso encontrem um melhor futuramente. O pague depois também é vantajoso para estes casos, pois assim evitam taxas que possam surgir de surpresa. Exemplo: Se fizerem uma reserva sem a opção pague depois a unidade hoteleira pode retirar a qualquer momento o valor da primeira noite ou até a totalidade. Se a reserva for para um local fora da Europa irão pagar aquelas malditas taxas que os vossos bancos cobram. Até aqui tudo bem, é algo com o que temos de conviver. Contudo, se cancelarem (atenção que estamos a falar de um cancelamento gratuito sem a opção pague depois)  o vosso querido banco não vai devolver as taxas que cobrou inicialmente. Por isso fiquem atentos.

 

Voltando então à reserva em Roma, vamos lançar a segunda dica e esta requer mais persistência do que a primeira. Todos nós perdemos tempo (desnecessário) no Facebook ou Instagram a fazer scroll down certo? Então que tal usarmos esse tempo para encontrar preços mais baixos nas reservas de hotéis que fizemos? Não custa mesmo nada. Basta abrir a página do Booking e automaticamente vai aparecer a vossa última pesquisa, já com as datas pretendidas e tudo. São apenas dois cliques. Aqui podem voltar a ver outros hotéis da zona que tenham ficado mais baratos ou até o mesmo. E foi isso o que nos aconteceu.

 

No mesmo site (Booking), o mesmo hotel, duas semanas depois, o preço tinha descido de 300 para 280 euros. E não pensem que ser um cliente genious tem muitas vantagens porque não tem. Um de nós tem esse 'título' e o outro não, e o preço era o mesmo. A diferença não era assim tão significativa, mas decidimos cancelar a nossa reserva inicial e fazer uma nova.

 

Mesmo assim continuámos a pesquisar todos os dias, o mesmo hotel, os mesmos dias... Fomos alternando entre motores de busca até que, no site Agoda (que pertence ao mesmo grupo do Booking) observámos que o preço estava nos 240 euros, isto um mês depois do início das nossas buscas. Novo cancelamento e nova reserva. Mas aqui até alternámos o nome do hospede principal. Temos cara de pau mas não tanto!

 

Como referimos anteriormente, aqui a opção de pague depois também ajudou, porque assim iríamos andar numa roda viva de montantes para cá e para lá.

 

É assim que conseguimos bons preços nos hotéis quando viajamos. Agora todos sabem o nosso segredo. Aproveitem.

 

Já íamos esquecendo, querem ver o hotel que tantas vezes foi mencionado certo?

 

Aqui fica http://www.bbtreviroma.com

 

Até JÁ

 

Querer viajar é saber planear com paciência

Planear uma viagem

 

 

Nos últimos anos temos feito algumas viagens que até há pouco tempo pareciam ser inacessíveis, de tão dispendiosas. Falamos por exemplo de Japão e sul de França. Vamos tentar ajudar-vos, sem oferecer dinheiro, a planear as vossas férias para que elas não pareçam tão caras. Mas não se enganem, há que pegar no cartão bancário.

 

Temos de ser sinceros, ir a estes sítios não é passar um fim de semana com os amigos numa casa alugada. É preciso gastar dinheiro e esquecer algumas peças de roupa que há muito queríamos comprar ou adiar aquela ida ao restaurante caro da cidade. O truque é conseguir dosear os nossos gastos. Vamos deixar algumas dicas de como conseguir planear aquela viagem que há muito andam a adiar, falando das nossas experiências.

 

Tal como disse Filipe Morato Gomes na sua crónica do Diário de Notícias, “viajar não é coisa de ricos”, e nós subscrevemos por inteiro.

 

Não somos adeptos das marcações de última hora, pois não permitem planear, que é a verdadeira razão deste tópico. Costumamos marcar pelo menos com seis meses de antecedência, sejam umas férias intercontinentais ou uma escapadinha de fim de semana.

 

O primeiro a fazer é comprar a viagem de avião. Recorram aos motores de busca. Temos preferência pelo Momondo mas o Skyscanner também não está mal. Sejam flexíveis nas datas e lembrem-se que viajar a meio da semana e durante a noite pode sair mais barato.

 

Depois dos resultados nos motores de busca não perdem nada em espreitar o site da própria companhia área para verificar o preço. Não é comum, mas os motores de busca também precisam de ganhar dinheiro e os valores podem ser diferentes. Tenham sempre à mão um cartão de débito, assim evitam taxas desnecessárias. Lembrem-se que desta forma irão estar já a pagar a vossa viagem de avião.

 

Sejam pacientes. O valor apresentado hoje pode não ser o mesmo de amanhã. Por isso pesquisem todos os dias a viagem pretendida e podem ser brindados com uma descida de preço. Contem que também podem sofrer alterações para cima. Confiem nos vossos instintos.

 

No ano passado conseguimos uma viagem de avião para o Japão por menos de 500 euros e foi graças à ajuda do Facebook. Na altura seguíamos o feed da companhia KLM - façam o mesmo que têm excelentes promoções - e surgiu esse preço. O processo de compra ficou aberto apenas dois dias, com viagem marcada para sete meses depois. Falámos um com o outro e comprámos logo, até porque não havia muito tempo para decidir - apanhados (com muita satisfação) na armadilha da compra por impulso... Este tipo de promoções tem meses marcados para a concretização, por isso, se têm flexibilidade na marcação de férias ajuda e muito. Estejam atentos e subscrevam as newsletters de várias companhias aéreas, preferencialmente as que voam para os vossos destinos de sonho.

 

Já com o avião marcado, passem para a pesquisa de hotéis. Apreciamos o serviço do Booking e o Agoda, mas por vezes não é lá que estão os melhores preços. E é aqui que surge o segundo truque. Se vão reservar mais de um hotel para a vossa viagem, doseiem os gastos. Paguem pelo menos um na altura de reserva (espreitem o Gala Hotels) e deixem o outro para pagar durante a estadia. Se conseguirem o pequeno-almoço incluído aproveitem, que é cada vez mais raro nas opções de reserva.

 

Caso queiram incluir um aluguer de carro nas vossas férias - o que não se justifica para uma escapadinha numa cidade grande - façam o seguinte. Um mês, ou dois, depois da terem comprado os bilhetes de avião procurem no Rentalcars (serviço ótimo), AtlasChoice e Auto Europe (excelentes preços) ou economyrentalcars as vossas melhores opções. 

 

Pensem que estão de férias e não precisam de um carro vistoso. Aluguem um carro económico, pois, além do preço do carro, a despesa da gasolina também sairá da vossa carteira. Nos referidos sites deixam apenas um depósito (atenção que desta forma perdem o cancelamento gratuito) que ronda os 25 ou 35 euros e terão de pagar o restante apenas um mês antes do levantamento. Tenham sempre atenção com os tipos de seguros e verifiquem se o vosso contrato tem quilómetros limitados, assim como a política de abastecimento.

 

Para concluir, e muito importante, falem do orçamento para gastar durante as férias. Estipulem um orçamento máximo. Costumamos fazer uma média de 100 euros por dia, por casal, mas geralmente acabamos por gastar só 80 por cento desse valor. O truque é ir juntando os extras que vamos ganhando ou aquele dinheiro que sobra ao final de cada mês.

 

Aconselhamos a não recorrer ao método ‘mealheiro’, aquele que fica religiosamente guardado no vosso quarto. Deixem o dinheiro guardado de lado apenas na vossa mente, mas que na verdade está à disposição na vossa conta bancária. Isso tornar-vos-á mais disciplinados para futuras viagens.

 

Têm outro truque que queiram partilhar connosco? Estamos prontos para ouvir.

 

Até JÁ

Pesquisar

 

Mensagens

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

Mais sobre mim

foto do autor