Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

volto já

para quem pertence a vários lugares

volto já

para quem pertence a vários lugares

White Rabbit: Fomos ao melhor restaurante da Rússia

White Rabbit Restaurant&Bar 

Com a marcação da nossa viagem à Rússia, veio também a reserva para um jantar no White Rabbit Restaurant&Bar, em Moscovo. As marcações só podem ser feitas com quinze dias de antecedência, através do site oficial.

 

Na lista dos 50 melhores restaurantes do mundo de 2016, o White Rabbit escalou cinco posições e encontra-se agora na 18.ª, fazendo dele o melhor restaurante da Rússia. O Volto JÁ esteve lá e conta tudo já a seguir.

 

O restaurante encontra-se no 16.ª piso do Complexo Smolensky Passage, em cima de galerias comerciais e escritórios. Na entrada somos logo abafados com a determinação russa, algo que aprendemos durante a nossa estadia e que começamos a apreciar. Já tínhamos dito que os russos são bastante rígidos nas regras e isso cai bem neste tipo de restaurantes.

 

Se há algo que salta à vista no White Rabbit, além das estupendas vistas, é a sua peculiar decoração. O nome do espaço é atribuído ao famoso coelho branco do conto de Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carrol. Se chegarmos 15 minutos depois da hora marcada na reserva, eles cancelam, sendo uma excelente ideia para descartar desculpas sem parecer ofensivo, até porque se enquadra perfeitamente no tema.

 

O White Rabbit convida-nos a entrar num mundo diferente, pouco iluminado, cores fluorescentes nas paredes, os sofás nas mesas e os quadros com coelhos. Antes de dar inicio ao jantar, somos convidados a desfrutar das vistas enquanto bebemos um cocktail, todos eles muito bem preparados.

 

Vieiras Grelhadas no White Rabbit

  

Para dar início à nossa viagem pelo 18.ª melhor restaurante do mundo, com a cozinha a cargo do chef Vladimir Mukhin, escolhemos vieiras grelhadas com molho de grão de bico e raviolis de caranguejo como entradas, destacando este último pela qualidade e frescura do ingrediente de destaque. Para acompanhar a refeição, um cocktail Moscow Mule, para entrar no espírito do país. Atenção que, na Rússia, o vinho é caro.

 

Durante o jantar fica difícil não olhar para fora, para a noite de Moscovo, com os seus edifícios gigantes e iluminados. O White Rabbit é praticamente revestido de vidro, com uma imponente cúpula, igualmente transparente.

 

É um restaurante jovem e descontraído, se bem que a música de ambiente não foi a mais apropriada com o espaço, chegando a tocar, duas vezes, a 'Love is in the air', de John Paul Young. Contudo, e esquecendo este pormenor, o restaurante tem um visual estonteante, ficando difícil deixar de recomendar a quem passa por Moscovo.

 Galinha Pintada no White Rabbit

 

Para prato principal escolhemos lombo de cordeiro e galinha pintada. Ambos pratos estavam deliciosos, mas aconteceu algo inesperado com a carne da pintada, veio pouco quente e teve de ser devolvida. Sabemos que os erros acontecem e não iria ser por isso que gostaríamos menos do restaurante, mas existe um hábito russo difícil de compreender: Eles não respeitam a gestão de tempo que cada um leva a comer, por exemplo, quando um acaba a refeição eles retiram logo o prato, mesmo que o outro ainda esteja a comer.

 

Como estávamos satisfeitos, passamos a sobremesa e optamos por beber um café acompanhado de bolachas que estavam no menu. Como surpresa, vieram dois coelhos de chocolate. Temos de destacar ainda a extensa carta do White Rabbit, chegando a ser uma árdua tarefa escolher entra tanta coisa. 

 

Cafés no White Rabbit

 

Em suma, o White Rabbit é bonito, moderno e ousado à sua maneira. Aqui, a cozinha russa está em sintonia com as últimas tendências culinárias. A visitar? Claro que sim.

 

Se esperaram até ao fim para saber o preço desta experiência, fiquem a saber que a fatura final não foi além dos 80 euros.

1 comentário

Comentar post